Pedra Azul e Rota do Lagarto: todas as dicas para montar o seu roteiro
Brasil Espírito Santo Pedra Azul

Pedra Azul e Rota do Lagarto: todas as dicas para montar o seu roteiro

Por Camilla Ribeiro    Postado em 09.08.2021

Nas últimas férias, fiz uma road trip do Rio de Janeiro até o sul da Bahia (contei o roteiro completo nesse post aqui). A primeira parada foi na região de montanhas do Espírito Santo, mais especificamente em Pedra Azul, e é sobre esse destino encantador que vou falar nesse post! 🙂

Pedra Azul pertence ao município de Domingos Martins, na região serrana do Espírito Santo. Não se trata de uma cidade, mas sim de uma região que cresceu em torno de uma pedra, conhecida como Pedra Azul. O nome é em função da coloração azulada que a pedra adquire, a depender da incidência da luz, devido à presença de liquens.

Para quem vê de longe, parece haver um lagarto incrustado na pedra. Por isso, um dos maiores atrativos da região é a chamada Rota do Lagarto, um circuito charmosérrimo, que é um must para quem visita Pedra Azul. Falo detalhadamente sobre essa rota mais a frente, na parte sobre “O que fazer” desse post.

Consegue ver o lagarto na pedra? (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu já tinha visitado Pedra Azul há muitos anos atrás, com meus avós, em um bate e volte. Queria muito voltar para ficar lá e curtir a região, que é super charmosa e romântica, com calma. Belos cenários, vistas de tirar o fôlego, excelentes restaurantes e hotéis…definitivamente um destino para curtir no mood slow travel. E também acho uma super sugestão de destino nacional para lua de mel.

Início da Rota do Lagarto (Foto: Viagem no Detalhe)
Cenários da Rota do Lagarto (Foto: Viagem no Detalhe)

Confesso que tinha altas expectativas e que Pedra Azul conseguiu superá-las! Recomendo muito o destino e espero fazer com que você se apaixone por ele tanto quanto eu, nesse post! Vamos lá?

Quadrado de São Paulinho (Foto: Viagem no Detalhe)
Lavandário Pedra Azul (Foto: Viagem no Detalhe)

// COMO CHEGAR?

O jeito mais prático de chegar à Pedra Azul é voando até o aeroporto de Vitória (que fica a aproximadamente 90km da região).

Como esse destino fez parte do meu Roteiro de carro de carro do Rio de Janeiro até o Sul da Bahia, eu fiz o trecho de carro. Do Rio de Janeiro até Pedra Azul são cerca de 466km de distância. A estrada é muito boa e fizemos esse trecho direto, no primeiro dia da viagem.

// QUANDO IR?

Pedra Azul pode ser visitada o ano todo. A alta temporada, como em toda região de montanhas capixabas, ocorre durante os meses de inverno, exatamente quando fui. O inverno coincide também com a época de menor incidência de chuvas.

O verão, apesar de mais chuvoso, traz a possibilidade de mergulho nas piscinas naturais que se formam no topo do Parque Estadual da Pedra Azul.

Embora a região seja extremamente turística, curiosamente, a maioria dos restaurantes e pontos de interesse só funciona de quinta a domingo. Portanto, se puder planejar o seu roteiro para cair num fim de semana, melhores são suas chances de aproveitar a viagem.

// QUANTO TEMPO FICAR?

A Rota do Lagarto é curta e pode tranquilamente ser conhecida em 1 dia, mas a grande graça da região é apreciar sem pressa as belezas locais, comer bem e curtir o clima romântico e agradabilíssimo de Pedra Azul. Recomendo, no mínimo, 2 dias na região. Eu fiquei 4 dias e foi uma delícia.

// ONDE FICAR?

A hotelaria é bem desenvolvida e há muitas opções legais de onde se hospedar por lá. A opção mais charmosa, sem duvida, é a famosa Pousada Rabo do Lagarto, que foi exatamente minha escolha.

Confesso que tinha altas expectativas, pois a pousada já estava há muito tempo na minha listinha de desejos, mas ainda assim conseguiu se superar!

A começar pelo quarto que, além de super confortável, tinha a vista mais linda para a Pedra Azul de todos os cantos!

Nosso quarto na Pousada Rabo do Lagarto (Foto: Viagem no Detalhe)

O hotel tem excelente infra-estrutura, atendimento e uma localização perfeita, coladinha ao Quadrado de São Paulinho, um dos pontos mais charmosos e Pedra Azul.

O café da manhã foi um dos melhores que já tive oportunidade de experimentar em hospedagens brasileiras. Sem hora ou local para ser servido, você escolhe aonde e que horas irá tomar seu café. Na hora marcada, uma surpresa a cada dia, pois além dos itens fixos, servidos numa bandeja, vem também uma caixa com vários itens surpresas, que variam diariamente. Achei um luxo e com uma dinâmica super adequada, em tempos de isolamento social, né?

Eu optei por tomar café da manhã, todos os dias, na varanda do quarto, que tinha uma vista incrível para Pedra Azul. Ficava horas, curtindo sem pressa esse momento e me encantando com as delicias do menu. Com certeza, uma das recordações mais marcantes dessa parte da viagem!

Café da manhã na varanda do quarto (Foto: Viagem no Detalhe)
Vista deslumbrante da Pousada (Foto: Viagem no Detalhe)

Para quem preferir, há a opção de tomar café da manhã no restaurante ou no deck (também com vista) da pousada. Todos os ambientes são encantadores.

A lojinha da Pousada (Foto: Viagem no Detalhe)

Por fim, uma experiência que recomendo para quem se hospedar na Pousada Rabo do Lagarto é jantar no seu restaurante (às vezes, é aberto a não hóspedes, mas é preciso confirmar com antecedência). Recomendo chegar antes do pôr do sol, para aproveitar a vista e emendar no menu degustação, que reúne os highlights do menu.

Reserve aqui (sem nenhum custo adicional) sua estadia na pousada Rabo do Lagarto.

Se não tivesse me hospedado na Pousada Rabo do Lagarto, minha escolha de hospedagem provavelmente teria sido a Pousada Pedra Azul, localizada no coração da rota do lagarto. Mesmo para quem não se hospeda lá, super recomendo uma visita para apreciar sua vista privilegiada e jantar no restaurante (falo sobre isso mais a frente, nesse post).

Piscina com vista da Pedra do lagarto (Foto: Divulgação)
Quarto da Pousada Pedra Azul (Foto: Divulgação)

Reserve aqui (sem nenhum custo adicional) sua estadia na Pousada Pedra Azul.

Por fim, uma terceira sugestão de hospedagem na região é o tradicional Aroso Paço Hotel, que apresenta uma bela arquitetura em estilo neoclássico.

Arquitetura em estilo neoclássico do hotel (Foto: Divulgação)
Vista da piscina do Aroso Paço Hotel (Foto: Divulgação)

Reserve aqui (sem nenhum custo adicional) sua estadia no Aroso Paço Hotel.

// O QUE FAZER?

Rota do Lagarto – A rota do lagarto é o principal atrativo de Pedra Azul. Trata-se de uma estrada de 8km, cheia de cenários idílicos. A ideia é ir bem devagar, parando onde te agradar e contemplando a beleza exuberante das montanhas capixabas.

Início da Rota do Lagarto (Foto: Viagem no Detalhe)

Totem e Casa do Turista– É o primeiro ponto da rota, onde fica o totem escrito “Eu <3 Pedra Azul” e a Casa do Turista, onde é possível pedir informações sobre as montanhas capixabas, Domingos Martins, Venda Nova do Imigrante e outras cidades menores.

Totem na entrada da Rota do Lagarto (Foto: Viagem no Detalhe)

Pousada Pedra Azul – além de ser uma boa opção de hospedagem na Rota do Lagarto, a Pousada Pedra Azul é também parada obrigatória para não hóspedes. A pousada tem cenários lindos e um lago negro que reflete a pedra do lagarto – impossível não se encantar e fazer mil cliques.

Parque Estadual Pedra Azul – O parque preserva 1.240 hectares de mata atlântica, dos quais 5% são aberto a visitação. Lá dentro, há diversas trilhas, sendo a mais famosa (e puxada!) delas a que leva até as piscinas naturais, lagoas que se formam no topo da pedra com água geladinha.

O Parque Estadual da Pedra Azul funciona de terça-feira a domingo, sendo a entrada gratuita e, atualmente (em função da pandemia), sem agendamento (ou seja, é por ordem de entrada). As fichas para entrada começam a ser distribuídas às 8h, havendo limite diário de 150 pessoas, sendo 30 por horário. Mas vale a pena sempre confirmar, no site oficial, a forma de funcionamento, pois as informações tem mudado constantemente.

Considerando que nem conseguiria curtir as piscinas (por estar visitando a região no inverno) e que teria que madrugar no parque, sem nem ter a certeza de que conseguiria ficha para a entrada, preferi deixar a visita para uma próxima ocasião. Meu roteiro foi todo focado em relaxar numa viagem romântica, então achei que acordar às 6h, no frio, para fazer trilha, não tinha muito a ver rsrs…mas com certeza é um super passeio e espero poder fazer futuramente!

Fjordland – empresa que oferece cavalgada ecológica com cavalos noruegueses da raça Fjord. A princípio, visitar Fjordland não estava nos meus planos, mas como acabei passando na frente, resolvi dar uma parada para fazer um lanche na cafeteria. Que grata surpresa!

Achei o lugar e os cavalos lindos e o ambiente da cafeteria, super agradável! Recomendo uma paradinha lá, nem que seja só para um café.

Cenário do Fjordland (Foto: Viagem no Detalhe)
Vista da cafeteria da Fjordland (Foto: Viagem no Detalhe)

Quadrado de São Paulinho – um cantinho tão perfeito que parece saído de um conto de fadas! Apesar de Pedra Azul não ter exatamente um centrinho, o Quadrado de São Paulinho é o que mais se aproxima disso. O quadrilátero reúne alguns dos restaurantes, lojinhas e cafeterias mais charmosos de Pedra Azul, como o Tuia e o Marietta Delicatessen, e é um programa imperdível.

Fica bem pertinho da Pousada Rabo do Lagarto, dá pra ir a pé.

Olha que charme o Quadrado de São Paulinho (Foto: Viagem no Detalhe)

 Lavandário Pedra Azul – Fora da rota do lagarto, mas perto do Quadrado de São Paulinho, esse é um dos cantinhos mais encantadores de Pedra Azul! É um lavandário que parece saído do Pinterest, cheio de cenários deslumbrantes.

Existe a opção de agendar um piquenique gourmet lá também. Eu queria muito ter feito, mas já estava esgotado quando tentei reservar.

Ah, além de curtir com calma o espaço, não deixe de passar o café, que serve algumas delícias a base de lavanda. Eu provei o lavanda velvet cake e o chá de lavanda – uma delícia!

Cenário idílico do Lavandário Pedra Azul (Foto: Viagem no Detalhe)

Bate e volta a Domingos Martins – Domingos Martins fica a mais ou menos a 50km de distância de Pedra Azul, rendendo um bate e volta interessante. A cidade foi fundada por imigrantes alemães e carrega sua herança na arquitetura, nas ruas (que ainda tem placas em alemão) e praças.

Igreja luterana da cidade (Foto: Viagem no Detalhe)

Os principais pontos de interesse são a Praça Dr. Arthur Gherardt, onde fica a Igreja Luterana e o marco da colonização alemã, e seus arredores e a Rua do Lazer, onde há várias opções de bares, cafés e restaurantes.

Monumento ao colono (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu confesso que esperava que a cidade fosse mais cuidada e charmosa e que precisei procurar para encontrar os cantinhos fofos que aparecem nas fotos. Não é um passeio imperdível, se você não tiver tempo sobrando, mas se tiver e curtir história, vale a pena visitar!

Placas em alemão espalhadas pela cidade (Foto: Viagem no Detalhe)
Mais placas em alemão nas ruas de Domingos Martins (Foto: Viagem no Detalhe)
Rua do Lazer em Domingos Martins (Foto: Viagem no Detalhe)

Ainda em Domingos Martins, também vale a pena dar um pulinho Cervejaria Barba Ruiva, que produz ótimos rótulos locais. Parei lá na volta para Pedra Azul e comprei algumas cervejas para trazer para casa.

Khas – trata-se de um projeto de turismo de experiência que reúne cafeteria de cafés especiais da região, lavandário, galeria de arte, plantações de morango, amoras, cafés, jardim de ervas, cogumelos e lojinhas. Não consegui ter tempo para encaixar no meu roteiro, mas dizem que o pôr do sol no lavandário deles é imbatível!

// ONDE COMER?

➦ Tuia Gastronomia e Arte – Lojinha e restaurante fofos localizados no Quadrado de São Paulinho. Suas crepes são famosas, mas me apaixonei mesmo pelos petiscos deliciosos, como o pastelzinho de moqueca de peixe e a linguicinha! Foi meu primeiro almoço na região e logo senti que a gastronomia em Pedra Azul não decepcionaria!

A charmosa fachada do Tuia (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Marietta_Delicatessen – Fica bem ao lado do Tuia e é a delicatessen mais fofa da vida! Não deixe de tirar um tempinho no seu roteiro para curtir os jardins do Marietta com calma e provar suas muitas delícias!

Parece casinha de boneca, né? (Foto: Viagem no Detalhe)

Don Due – italiano clássico e delicioso, perfeito pra um jantar romântico. Achei incrível, desde os pratos perfeitamente executados (e criativos) até o ótimo atendimento! Imperdível pra quem vier à região. Ah, não deixe de reservar com antecedência!

Endereço: Av. Ângelo Girardi, KM 03, s/n – Pedra Azul, Domingos Martins – ES

Alecrim Cozinha Artesanal – Foi o melhor almoço dessa parte da viagem, para mim! O ambiente externo, com o jardim, é super agradável e os pratos, impecáveis! Destaque para o filé mignon com risoto de gorgonzola e geleia de morango – de comer rezando.

O cenário do Alecrim (Foto: Viagem no Detalhe)
Gastronomia afetiva deliciosa no Alecrim (Foto: Viagem no Detalhe)

Azzurra Cervejaria – Cervejaria local que possui um beer garden super agradável no Quadrado de São Paulinho. Não deixe de provar os chopps da casa e o socol, que é um embutido típico da região.

Flor de socol e cervejinha no Azzurra (Foto: Viagem no Detalhe)

Wine Bike – um achado, na beira da estrada, coladinho no Lavandário Pedra Azul. O ambiente de lá é acolhedor e os petiscos, deliciosos! Pedimos uma tábua de queijos locais acompanhada de vinho branco e um chopp local e adoramos!

Ambiente charmoso do Wine Bike (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Rod. Geraldo Sartório, 8173 – Sao Paulo De Arace, Domingos Martins – ES

➦ Passarin – Mais um restaurante super recomendado na região! Eu queria muito ter almoçado lá, mas, infelizmente, eles estão com uma política de não servir refeição nas mesas externas, apenas bebidas e entradas. Como estou evitando ambientes fechado, por causa da pandemia, pedi apenas uma entradinha com vinho e fiquei curtindo a linda vista da Pedra Azul!

Vista do restaurante Passarin (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Rodovia Geraldo Sartório – ES 164 (Caminho das Flores km 5) – Domingos Martins – ES

Pousada Pedra Azul – Além das belas vistas para a Pedra Azul, a pousada também possui um restaurante aberto a não hóspedes que vale a visita. Se você for no inverno, como eu, não deixe de provar o fondue.

Ateliê do chocolate – ótimos chocolates e um café charmoso, bem ao lado da Pousada Rabo do Lagarto. Mesmo se você não quiser parar lá para comer, vale levar os chocolates, feitos seguindo o conceito Bean to Bar (utilizam as amêndoas de cacau, torram e produzem a massa do cacau com ingredientes especiais), do Ateliê para provar em casa.

A vitrine do Ateliê do Chocolate (Foto: Viagem no Detalhe)

***

Espero que vocês gostem de acompanhar as dicas de mais essa viagem! No próximo post, conto sobre como foi minha experiência em Itaúnas, o segundo destino que visitei nessa road trip do Rio de Janeiro até o sul da Bahia.

Obrigada pela visita!

Beijos,

Camilla

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@viagemnodetalhe

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
1 Comentário
  1. […] primeiro destino já estava escolhido: Pedra Azul, uma região super charmosa e romântica de Domingos Martins, que há muito eu queria explorar com […]

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe