Tour Rio Casas e Prédios Antigos: um jeito diferente de conhecer o Rio de Janeiro
Brasil Rio de Janeiro Vida Carioca

Tour Rio Casas e Prédios Antigos: um jeito diferente de conhecer o Rio de Janeiro

Por Camilla Ribeiro    Postado em 27.05.2018

No último fim de semana, fui fazer um tour diferente pelo Rio de Janeiro, que sempre tive vontade de fazer, organizado pelo Rio Casas e Prédios Antigos.

O projeto Rio Casas e Prédios Antigos é fruto da  pesquisa realizada pelo jornalista Rafael Bokor e surgiu com a criação de sua página no Facebook, com objetivo de resgatar a memória arquitetônica e afetiva do Rio de Janeiro através das histórias e fotos das construções antigas da cidade.

Com o sucesso da página, vieram o livro (financiado por Crowdfunding – e em breve virá o segundo!) e as palestras sobre o tema e tours pelas construções antigas, que acontecem em 8 bairros diferentes. Eu fiz o do Flamengo e amei!

O Tour é uma verdadeira viagem no tempo, passando por diversas construções cariocas e desvendando seus segredos e detalhes históricos e arquitetônicos. Eu, que sou super fã de história e arquitetura, pirei, né?

Começamos o tour do Flamengo no prédio do Centro Cultural do Oi Futura (antigo Museu do Telefone), de onde seguimos para um dos pontos mais aguardados por mim: o Centro Cultural Oduvaldo Viana Filho, mais conhecido como Castelinho do Flamengo!

castelinho_do_flamengo

O misterioso Castelinho do Flamengo (Foto: Viagem no Detalhe)

O castelinho foi projetado, em 1916, pelo famoso arquiteto italiano Gino Copede, em estilo eclético e com (claro) inspiração italiana. A obra foi finalizada em 1918, quando o comendador Joaquim da Silva Cardoso e sua esposa Carolina lá moravam.

castelinho_do_flamengo_detalhes

Detalhes da arquitetura eclética do Castelinho (Foto: Viagem no Detalhe)

Anos depois, Avelino Fernandes, sua esposa Dona Rosalina Feu Fernandes e a filha do casal, Maria de Lourdes, foram lá morar e foi aí que a aura de mistério começou a envolver o lugar.

Há relatos de que, após a morte do casal (atropelados por um bonde, em frente ao Castelinho, em 1932), Maria de Lourdes passou a ser criada por seu maligno tutor. O tal tutor teria roubado e maltratado a menina, que foi presa até a morte na torre principal do castelinho.

Reza a lenda urbana que, após sua morte, Maria teria retornado ao lugar para assombrá-lo e muitos acreditam que o castelinho seja mal assombrado até hoje. Se é fato ou boato, eu não sei, mas que dá um arrepiozinho a entrada no castelinho, isso dá! rs

castelinho_do_flamengo_escadaria

Um lugar com muitas histórias e lendas (Foto: Viagem no Detalhe)

Em 1983, o  imóvel foi tombado e, posteriormente, reformado, passando, então, a funcionar como o Centro Cultural Oduvaldo Viana Filho. O espaço possui uma videoteca com mais de 1.500 títulos em acervo.

Depois de visitar o Castelinho, passamos por diversos prédios no bairro do Flamengo, como os edifícios Biarritz, Bela Vista, Select, Tucuman entre outros. Nesse percurso, fomos descobrindo segredos de suas história e arquitetura surpreendentes, coisas que eu jamais saberia sem ter feito esse passeio, mesmo já tendo passado em frente a essas construções diversas vezes… mas, não vou contar todos esses segredos aqui para não tirar a graça do tour, né? 😀

Para fechar o dia, com chave de ouro, a última visita: Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa.

O palacete, construído em 1920, foi um presente de Demócrito Lartigau Seabra à sua esposa, Maria José. Apaixonado, quis dar a ela “a mais bela casa do Rio de Janeiro” e, para isso, contratou um arquiteto francês para desenvolver o projeto e mandou vir da Europa todas as peças de acabamento e  decoração.

casa_julieta_de_serpa

Um pouco do lindo interior do palacete (Foto: Viagem no Detalhe)

Com a morte do casal e, posteriormente, de seu único filho, em 2001, o palacete foi vendido para uma empresa que queria demoli-lo para construir um prédio no local. Ainda bem que isso não foi possível, já que a construção era tombada desde 1997. Em 2002, por fim, o palacete foi comprado pelo educador e antiquário Carlos Alberto Serpa de Oliveira para nele instalar a casa de cultura, dando-lhe o nome de sua mãe, Julieta de Serpa.

casa_julieta_de_serpa_detalhes

Detalhes da linda Casa de Cultura e Arte Julieta de Serpa (Foto: Viagem no Detalhe)

Visitar a Casa Julieta de Serpa com certeza foi o gran finale perfeito para esse tour tão rico em histórias e belos cenários.

Confesso que me encantei com o passeio e já quero fazê-lo em todos os outros bairros! Definitivamente, uma forma muito original e diferente de explorar a Cidade Maravilhosa! Recomendo demais!

Para quem animar de conhecer melhor o trabalho do Rio Casas e Prédio Antigos, deixo aqui os contatos do Rafael Bokor: rafaelbokor@yahoo.com.br / (21) 98880-3200. Vale destacar seu profundo conhecimento sobre as construções e história da cidade, além de simpatia, que tornam o passeio ainda mais agradável e interessante.

Espero que tenham gostado da dica e, quando fizerem o tour, não deixem de me contar como foi! 😉

Obrigada pela visita!
Beijos, Camilla
Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo instagram >> @viagemnodetalhe
 
 

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
1 Comentário
  1. […] Tour Rio Casas e Prédios Antigos: um jeito diferente de conhecer o Rio de Janeiro […]

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe