Roteiro completo e dicas de Lima
América Latina Lima peru

Roteiro completo e dicas de Lima

A Capital Gastronômica das Américas
Por Camilla Ribeiro    Postado em 07.01.2020

No final de 2019, consegui fazer uma viagem que há tempos planejava: voltar a Lima. Essa foi minha terceira vez no Peru (ano passado, estive em Cusco e Macchu Picchu – veja aqui as dicas de lá) e a segunda vez que viajei para lá para ficar apenas na capital.

Muita gente considera apenas Machu Picchu quando pensa em uma viagem para o Peru, mas a verdade é que Lima é uma cidade incrível, linda, florida, limpa, cheia de atrações turísticas e com uma gastronomia de altíssimo nível. Não é à toa que é conhecida como a “capital gastronômica das Américas”.

Falésias e o oceano Pacífico (Foto: Viagem no Detalhe)
Flores e mais flores no Parque de la Reserva (Foto: Viagem no Detalhe)

A primeira vez que viajei para Lima foi em 2013 e, agora, 6 anos depois, me surpreendi com como a cidade está ainda mais bela, interessante e com uma cena gastronômica ainda mais efervescente.

Espero conseguir te convencer com esse post que Lima não se reduz a um mero destino de conexão. Merece alguns dias do seu roteiro pelo Peru (ou – por que não?! – uma viagem exclusiva para lá), para ser explorada com calma e profundidade.

Ponte dos Suspiros, em Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)
Pôr do Sol de cinema, no circuito de praias do Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)

// COMO CHEGAR?

Diversas companhias aéreas operam o trecho Brasil – Lima. Eu fiz o trecho pela Latam, com conexão em São Paulo.

// QUANDO IR?

Lima pode ser visitada a qualquer época do ano. A temperatura é bem estável e quase não chove na capital peruana.

Há duas estações definidas por lá: o verão, que vai de dezembro a março e traz dias bonitos e ensolarados para a cidade, e o inverno, de abril a novembro, quando os dias são praticamente todos nublados e cinzentos. Independentemente da estação, Lima é sempre úmida e fresca. 

Já estive lá nas duas estações (da primeira vez em outubro e, agora, em dezembro) e achei a cidade mais agradável e bonita no verão. Peguei dias lindos e presenciei pores do sol inesquecíveis.

Verão, a estação mais linda para visitar Lima (Foto: Viagem no Detalhe)

// QUANTO TEMPO FICAR?

3 dias é uma boa quantidade de tempo para explorar os pontos turísticos e a sensacional oferta gastronômica da cidade. Se você só tiver um fim de semana, como eu dessa última vez, dá pra fazer bastante coisa também (desde que sejam 2 dias inteiros).

// ONDE SE HOSPEDAR?

Recomendo dois bairros para se hospedar em Lima: Miraflores e Barranco. Da primeira vez que estive na cidade, fiquei no primeiro, no hotel Tierra Viva Miraflores Larco.

Meu quarto no Tierra Viva Miraflores Larco (Foto: Viagem no Detalhe)

O hotel é simples, mas confortável e extremamente bem localizado – fica a um pulo do shopping Larcomar e de tudo de mais interessante que há no bairro de Miraflores.

O custo x benefício do hotel também merece destaque e, se essa combinação é o que você busca na sua viagem, o Tierra Viva Miraflores Larco com certeza é uma ótima escolha – reserve aqui (sem custo adicional) sua estadia lá.

Se você busca uma opção mais luxuosa em Miraflores, indico o Belmond Miraflores Park, que é um dos melhores hotéis da cidade.

Dessa segunda vez em Lima, escolhi me hospedar no Barranco, um bairro boêmio e super cool, cheio de bares, restaurantes, street art, museus, casarões históricos, lojinhas descoladas e onde fica a charmosa ponte dos suspiros. Eu amei ficar lá e poder desvendar a cidade de uma nova perspectiva.

A fachada do Casa Republica Barranco (Foto: Divulgação)

O escolhido foi o hotel boutique Casa Republica Barranco, adorei! O hotel está instalado num casarão restaurado dos anos 20 – lindo e super bem localizado. Meu quarto era grande e confortável, o staff todo foi muito solícito e o hotel era cheio de cantinhos charmosos.

Meu quarto no Casa Republica Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)

Minha única crítica ao hotel fica por conta do café da manhã, que achei bem simples e com poucas opções. Porém, como já se come tanto em todas as outras refeições em Lima, isso não chega a ser um problema rs.

O salão de café da manhã do Casa Republica Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)

Recomendo bastante o Casa Republica Barranco. Faça a sua reserva no hotel (sem custo adicional) aqui.

Charmoso jardim e bar do hotel (Foto: Viagem no Detalhe)

No bairro de Barranco, indico também o Hotel B, localizado em um elegante edifício de 1914, no estilo Belle Époque, bem ao lado do Casa Republica. O hotel possui o selo Relais & Châteaux e com certeza é uma das melhores opções de hospedagem da cidade. Reserve aqui (sem custo adicional) sua estadia no Hotel B.

Se preferir, pesquise aqui outras opções de hotel em Lima.

// O QUE FAZER?

Para facilitar a organização do seu roteiro, vou deixar as dicas de passeios separadas por bairros:

MIRAFLORES

➦  Malecon e Parque do Amor – com certeza, um dos lugares mais lindos e mais procurados de Lima! O Malecon é a orla, que tem vista para o mar e para as falésias.

Asa deltas sobrevoando as falésias de Lima (Foto: Viagem no Detalhe)

A caminhada por lá leva, invariavelmente, até o Parque do Amor, que é um dos pontos mais lindos desse passeio. Trata-se de um parque com vista do Oceano Pacífico, construído com inspiração do Parque Güell, em Barcelona. O parque conta com diversas obras de arte, jardins floridos, bancos com mosaicos coloridos cheios de poesia e declarações de amor.

No centro do parque, fica a enorme escultura “O beijo”, do artista peruano Victor Delfin. Nos bancos envolta da escultura, casais batem ponto, aguardando o pôr do sol.

O Beijo, no Parque do Amor (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Larcomar – famoso shopping à céu aberto de Miraflores. Tem várias lojinhas e restaurantes com visual do mar e das falésias de Lima. Também é um excelente ponto para fotos e para admirar as pessoas que saltam de asa delta por ali.

Shopping Larcomar, o mais agradável da cidade (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Huaca Pucllana – É um dos principais sítios arqueológicos pré-hispânicos do Peru. Sua pirâmide de 25 metros, erguida com adobe, serviu como um importante centro administrativo e cerimonial para a cultura desses povos e acredita-se que, dentro dela, eram realizados cerimônias, sacrifícios e agradecimentos.

Visita guiada à Huaca Pucclana (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu achei a visita muito interessante e recomendo muito fazê-la, antes de conhecer Cusco e Machu Picchu, se possível. Dessa forma, você tem um bom apanhado, em ordem cronológica, da história peruana.

Pirâmide em adobe de Huaca Pucllana (Foto: Viagem no Detalhe)

SAN ISIDRO

➦ Huaca Huallamarca – outro sítio arqueológico dentro da cidade. Possui uma grande pirâmide, toda feita de barro, remanescente do período pré-inca. Acredita-se que fosse um templo cerimonial para esse povo.

Sítio arqueológico de Huaca Huallamarca (Foto: Viagem no Detalhe)

Na base da pirâmide, há um pequeno museu com algumas peças e informações – vale a pena visitar.

BARRANCO

Flanar pelo bairro – Barranco é o bairro boêmio de Lima, cheios de street art, lojinhas descoladas, bares e restaurantes bacanas, belas praças e museus. O melhor passeio, por aqui, é desbravar sem pressa cada cantinho e ir descobrindo suas joias, pelo caminho.

Street art pelas ruas de Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)
Biblioteca numa das principais praças do bairro (Foto: Viagem no Detalhe)

Ponte de los suspiros – É o cartão postal do Barranco. Há bastante controvérsia sobre a origem de seu nome. Reza a lenda que, quem cruzar a ponte, pela primeira vez, sem respirar, terá um desejo realizado.

Ponte dos suspiros, no Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)

Galeria de Jade Rivera – bem abaixo da ponte dos suspiros, fica essa pequena galeria de arte, que divulga um pouco do trabalho do pintor e muralista peruano, Jade Rivera.

A galeria de Jade Rivera (Foto: Viagem no Detalhe)
Detalhes da obra do artista (Foto: Viagem no Detalhe)

Foi uma das minhas melhores descobertas nessa última viagem. A arte de Jade é focada em retratar situações cotidianas e culturais através de um imaginário que abraça as emoção e a espiritualidade humana. É lindo de se ver!

Mural de Jade Rivera, em uma rua do Barranco (Foto: Viagem no Detalhe)

MATE – museu super cool dedicado à obra do famoso fotógrafo de moda peruano, Mário Testino. Foi um dos lugares que mais gostei de conhecer da primeira vez que estive em Lima, pois mistura duas das minhas grandes paixões: moda e fotografia!

Museu MATE, de Mario Testino (Foto: Viagem no Detalhe)

Ah, a lojinha do MATE é super legal, vale uma visita após conhecer o museu.

Um pouco da bela arquitetura e design do museu (Foto: Viagem no Detalhe)

MAC (Museu de Arte Contemporânea) – Dessa última vez em Lima, me aventurei no MAC, museu de arte contemporânea, aberto em 2013 na cidade. A construção, por si só, já impressiona, com três galpões enormes, envidraçados, e um espelho d’água na fachada.

O acervo é relativamente pequeno, o que permite que o visitante percorra com calma as mostras (quando fui, eram 3 em exibição), lendo, interagindo etc.

O Museu de Arte Contemporâneo de Lima (Foto: Viagem no Detalhe)

O museu também conta com uma programação de atividades ao ar livre (consulte mais detalhes no site oficial) e com um simpático café/bistrô.

O charmoso bistrô do MAC (Foto: Viagem no Detalhe)

CENTRO

Plaza de Armas – É uma das mais belas praças da América Latina e o ponto de partida para explorar o centro histórico de Lima e sua herança colonial. Alguns de seus principais pontos de interesse são o Palácio do Governo – onde acontece a famosa troca de guardas -, a Catedral de Lima, o Palácio do Arcebispo e a Prefeitura da cidade.

A Plaza de Armas de Lima (Foto: Viagem no Detalhe)
O Palacio del Gobierno de Lima (Foto: Viagem no Detalhe)

Palácio do Governo – no apogeu da civilização Inca, o atual palácio serviu de residência para o último imperador desse povo e era um lugar de conotação religiosa. Após a conquista espanhola, Francisco Pizarro construiu em 1535 seu palácio nesse mesmo local.

Para quem se interessar, a troca de guarda do Palácio do Governo acontece, diariamente, às 11:45h. Eu confesso que não me planejei para assisti-la, mas, por coincidência, estava no centro histórico exatamente nesse horário, da primeira vez que fui para Lima!

Catedral de Lima – foi construída entre os séculos XVI e XVIII, sobre um templo dedicado à Puma, uma das principais divindades incas. Seu acervo de arte sacra colonial espanhola é impressionante!

A fachada da Catedral de Lima (Foto: Viagem no Detalhe)
E o interior da Catedral (Foto: Viagem no Detalhe)

Palácio do Arcebispo – fica bem ao lado da Catedral de Lima e possui uma arquitetura magnífica. O primeiro piso do palácio é usado para exposições de arte sacra e o segundo piso é ainda usado pelo Arcebispo da cidade para exercer suas funções oficiais.

A incrível arquitetura do Palácio do Arcebispo (Foto: Viagem no Detalhe)

Basílica y Convento de San Francisco de Lima – a alguns passos da praça, está essa Basílica, formada por um complexo de 3 igrejas (Santuario Nuestra Señora de la Soledad, Iglesia del Milagro e San Francisco de Lima). A visita é interessante, não só pela bela arquitetura do complexo, como pela possibilidade de visitar as catacumbas existentes abaixo das igrejas e a sua magnífica biblioteca.

Basílica e Convento de San Francisco (Foto: Viagem no Detalhe)

Museu Banco Central de Reserva del Perú – instalado em um dos prédios históricos do centro da cidade, esse museu reconta a história do Peru. Seu acervo possui peças que datam desde os períodos incas e pré-incas até os séculos XIX e XX.

Parte do acervo do Museu Banco Central de Reserva del Perú (Foto: Viagem no Detalhe)

OUTROS BAIRROS

Museu Larco – é um dos museus mais visitados na América Latina e a atração turística mais visitada de Lima! É o ponto de partida perfeito para quem quer conhecer mais sobre a história do Peru. O museu não é monótono e a visita é bem explicativa e interessante.

Além de tudo isso, os jardins do Larco são lindíssimos e merecem ser explorados com calma.

Parte dos jardins do Museu Larco (Foto: Divulgação)

➦ Parque de La Reserva (Circuito Magico del Agua) – Esse é um dos parques mais lindos de Lima, na minha opinião! É todo florido e cheio de fontes, uma visita que rende mil e uma fotos.

A entrada do Parque de la Reserva (Foto: Viagem no Detalhe)
Cantinhos charmosos do Parque da Reserva (Foto: Viagem no Detalhe)
Tudo florido pelo parque (Foto: Viagem no Detalhe)

De 5h às 11h, a entrada do parque é gratuita, mas não recomendo visitá-lo nesse horário, pois as fontes estarão desligadas. Às 15h, o parque reabre com as fontes todas ligadas, cobrando $4 soles de entrada (valor de dez/2019).

Não é uma graça?! (Foto: Viagem no Detalhe)
Fontes ligadas no Circuito Magico del Agua (Foto: Viagem no Detalhe)

À noite, acontecem 3 shows de luzes e sons nas fontes do parque, às 19:15h, às 20:15h e às 21:30h. Recomendo ir no fim da tarde, para pegar o parque ainda claro e, depois, assistir ao espetáculo, que é belíssimo – passeio imperdível!

// ONDE COMER?

Maido – quando montei meu roteiro gastronômico por Lima, dessa vez, estava sem esperança de conseguir ir no Maido. O restaurante, que ocupa o #1 na lista do 50 Melhores da América Latina, precisa ser reservado com meses de antecedência e, como fechei essa viagem um pouco em cima da hora, não consegui nem entrar na fila de espera.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ao chegarmos em Lima, o concierge do Casa Barranco nos incentivou a ir, mesmo sem reserva. Resolvemos tentar: chegamos 12h em ponto, assim que o Maido abriu, e não é que, após 30 minutos de espera, conseguimos uma mesa?! 😀

O Maido é focado na culinária nikei, que mistura a gastronomia japonesa com a peruana. Optamos por não provar o menu degustação, mas escolhermos varios itens do cardápio para dividir. Provamos MUITA coisa e amamos tudo, com destaque para o Cebiche sansei (melhor ceviche que já provei – $79 – valor de dez/2019), o Nigiri de lagostim empanado ($29 a dupla – valor de dez/2019) e o Rocoto relleno (bife com shoyu, sake e mirin, cebolas e espuma de batatas com queijo – $39 – valor de dez/2019).
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A criatividade e o sabor dos pratos servidos, o atendimento impecável e o lindo ambiente do Maido mostram que não faltam motivos para o merecido destaque que o restaurante vem recebendo desde que abriu. Sem dúvidas, uma das melhores refeições que fiz em Lima!

O ambiente do Maido (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Esquina con, Calle San Martin 399, Miraflores 

Central Restaurante – Esse restaurante ocupa a posição #2 na lista do 50 Melhores da América Latina e também precisa ser reservado com meses de antecedência. Eu tentei fazer a reserva com 3 meses de antecedência e fiquei na fila de espera (lá não rola ir sem reserva)! Poucos dias antes de embarcar para Lima, dei a sorte de receber um e-mail do restaurante confirmando meu jantar :D⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Nós e os responsáveis pelo sucesso do Central (Foto: Viagem no Detalhe)

Provei o menu Ecossistema, que tem 12 etapas que avançam conforme a altitude dos alimentos que compõem o prato (genial!). Pra acompanhar, pedi a harmonização de bebidas da América do Sul (vinho, drink e cerveja).

Eu amei o jantar, desde a composição dos pratos – super inovadora – até o atendimento impecável! Foi uma noite maravilhosa e que fez jus à classificação do Central como um dos melhores restaurantes do mundo!

Menu Ecossistema (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Av. Pedro de Osma 301 Lima, Barranco 

Isolina Taberna Peruna – o Isolina também está na lista do 50 Melhores da América Latina (posição #12), mas tem uma vibe completamente diferente dos dois restaurantes que citei acima. O foco aqui é uma cozinha afetiva, deliciosa e com preços muito justos!

Ceviche do Isolina (Foto: Viagem no Detalhe)
Generosas porções no Isolina (Foto: Viagem no Detalhe)

Almocei lá e provei o ceviche ($ 68 soles – valor de dez/2019) e as meias porções do lomo saltado ($ 40 soles – valor de dez/2019) e do arroz tapado ($ 28 soles – valor de dez/2019). Veio tudo MUITO bem servido, a tradicional culinária criolla é bem generosa nas porções rs

A fachada do Isolina (Foto: Viagem no Detalhe)

Ah, é tranquilo ir sem reserva, mas recomendo chegar cedo, porque o restaurante lota!

Endereço: Av San Martin 101, Barranco 

Astrid y Gaston – Mais um da lista dos 50 Melhores da América Latina (perceberam que só dá Lima nessa lista, né?!). É o famoso restaurante de Gastón Acurio, um dos principais responsáveis por colocar Lima e o Peru no mapa gastronômico mundial.

Almoço inesquecível no Astrid y Gaston, em 2013 (Foto: Viagem no Detalhe)

Estive lá da primeira vez que fui a Lima, quando o Astrid y Gaston era o mais famoso da cidade. Fiquei super impressionada, na época, com o menu degustação inventivo, que contava uma história, através dos pratos, louças e ilustrações do menu.

É recomendável reservar com antecedência.

Endereço: Avenida Paz Soldan 290 Av. Paz Soldán 290, San Isidro

Cala Restaurant e Lounge – restaurante e lounge localizado no circuito de praias do Barranco. Fui no lounge, num fim de tarde e fiquei encantada: lugar delicioso, música ambiente gostosa, boas opções de drinks e vinhos e a MELHOR VISTA do sunset!

Pôr do sol visto do lounge do Cala (Foto: Viagem no Detalhe)
Um pouco do ambiente do Cala (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Circuito de Playas, Barranco 15063, Peru

Picas um dos barzinhos mais animados do Barranco. Excelente lugar para provar o Pisco, a bebida nacional peruana, e curtir a noite local.

Curtindo a noite no Picas, em 2013 (Foto: Viagem no Detalhe)
Mil e uma opções de pisco (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Bajada de baños 340, Barranco 

Casa de Leeuw – na mesma rua do Casa Republica Barranco, fica esse bar de tapas, instalado num charmoso casarão. Estive lá dessa vez, na minha última noite em Lima – estava buscando algo mais rápido para comer, antes de ir para o aeroporto -, e curti o clima descontraído e despretensioso.

Charmoso casarão ocupado pelo Casa de Leeuw (Foto: Viagem no Detalhe)
Vinho e tábua de tapas (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Av. Sáenz Peña 103, Barranco

Tanta – restaurante do mesmo chef do Astrid y Gaston, com foco em gastronomia popular a um excelente custo x benefício. Tem diversas unidades espalhadas pela cidade, até mesmo no aeroporto, e é sempre uma boa pedida!

Almoço delicioso no Tanta (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Beso Frances – Creperia de inspiração francesa super charmosa! Tem várias unidades, mas recomendo a da orla de Miraflores (fica ao lado do Parque do Amor), que é super agradável e tem uma vista linda para o Pacífico.

Pausa para um café no Beso Frances (Foto: Viagem no Detalhe)
Um pouco do ambiente do Beso Frances de Miraflores (Foto: Viagem no Detalhe)

Fui tomar apenas um cafezinho, mas o lugar também é uma boa pedida para quem busca uma refeição mais leve. Seja qual for seu objetivo, vale conhecer, é uma graça!

Olha que charme o copinho do café! (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: 1era cuadra Malecón de la Reserva s/n, Miraflores (Localização exata aqui)

➦ Pescados Capitales – restaurante despretensioso, com deliciosa culinária peruana. Tem 3 unidades espalhadas pela cidade, eu fui na de Miraflores e recomendo, pelo ambiente aberto e descontraído.

Endereço: Av. Mariscal La Mar 1337, Miraflores 

➦ Amor Amar – restaurante super escondido e delicioso! Ninguém imagina que numa rua deserta, atrás de um enorme portão, vá encontrar o lindo e aconchegante ambiente do Amor Amar. É um segredo bem escondido da capital peruana, que vale ser desvendado.

Jantar no Amor Amar, em 2013 (Foto: Viagem no Detalhe)

Endereço: Jr. García y García 175, Barranco

***

Lima foi paixão à primeira vista e continuo me encantando com a cidade, a cada retorno. Se você ainda não foi, coloque na listinha, garanto que não vai se decepcionar!

Ah, e se, depois de Lima, você planeja conhecer Cusco & Macchu Picchu, confira aqui todas as minhas dicas desses 2 lugares incríveis!

Obrigada pela visita!

Beijos,

Camilla

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@viagemnodetalhe

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe