Tanzânia: Roteiro de Safári na Cratera de Ngorongoro
África Cratera de Ngorongoro Tanzânia

Tanzânia: Roteiro de Safári na Cratera de Ngorongoro

Por Camilla Ribeiro    Postado em 06.08.2018

Depois de ter tido minha primeira experiência de safári no Serengeti (clique aqui para ler meu relato completo e todas as dicas de lá), segui para outro lugar muito especial na Tanzânia: a Cratera de Ngorongoro!

cratera_ngorongoro_zebras

O cenário surreal de lindo da Cratera de Ngorongoro (Foto: Viagem no Detalhe)

A Cratera de Ngorongoro é uma das maravilhas naturais da Tanzânia. Imagina fazer um safári dentro de uma imensa cratera?! Pois é, essa foi a experiência que tive nessa minha segunda base para uma nova rodada de safáris no país!

cratera_ngorongoro_mirante

A Cratera de Ngorongoro vista de cima (Foto: Viagem no Detalhe)

Esse lugar, originalmente, era uma montanha vulcânica enorme (dizem que maior que o monte Kilimanjaro), que colapsou, ao entrar em erupção. Nesse momento, sua bordas “caíram para dentro”, formando uma área enorme plana com bordas nos entornos.

Além de ter ganhado um visual de tirar o fôlego de lindo, a cratera se tornou um ecossistema perfeito para os animais que lá vivem, afinal, não há motivo para que saiam de lá, já que tudo que eles precisam (comida, água, lugar tranquilo pra reprodução etc.) pode ser encontrado dentro da cratera.

cratera_ngorongoro_gnus

Bando de gnus dentro da Cratera (Foto: Viagem no Detalhe)

cratera_ngorongoro_elefante

Elefante solitário na paisagem da cratera (Foto: Viagem no Detalhe)

Esse ecossistema perfeito garante uma abundância de espécies enormes e faz com que o lugar seja perfeito para um safári! Além da quantidade de animais, o visual  surreal de lindo da cratera ajuda a tornar toda a experiencia muito mais especial!

cratera_ngorongoro_carro

Que tal fazer um safári com esse visual? (Foto: Viagem no Detalhe)

// Como chegar?

Não há vôos diretos para a Tanzânia, de modo que, necessariamente, você terá que voar até a África do Sul (Joanesburgo) para, de lá, seguir para o país.

Aproveite essa parada “forçada” em Joburg para fazer um roteiro combinando África do Sul e Tanzânia ou para, pelo menos, conhecer a cidade (como eu fiz e recomendo!). Veja aqui  minhas dicas de Joanesburgo.

Eu voei de Latam, no novíssimo voo direto de São Paulo até Joanesburgo (no meu caso, fui do Rio), e super aprovei! Mas diversas outras companhias operam o trajeto.

De Joanesburgo, o ideal é pegar um voo para um dos principais hubs da Tanzânia. O mais comum – e, provavelmente, a opção mais prática –  é voar de Joanesburgo direto para Zanzibar (já que é comum incluir o arquipélago num roteiro pela Tanzânia). De Zanzibar, é fácil pegar um vôo interno para a Cratera de Ngorongoro.

Mango é a única cia aérea que opera o trecho diretamente, mas esses vôos só saem às terças, quintas e sábados, com horários limitados. Eu voei de Mango no fim da minha viagem, quando retornava de Zanzibar para Joanesburgo, e recomendo a companhia!

Como não queria começar minha viagem em Zanzibar, mas sim nos safáris (geralmente, gosto de deixar a parte de praia por último, para relaxar no final da trip), segui de Joanesburgo para Dar es Salaam (capital da Tanzânia). Lá, eu dormi uma noite e, no dia seguinte, de manhã, peguei um voo interno da Costal Aviation bem cedinho para o Serengeti. Do Serengeti, peguei um outro voo da Coastal Aviation para a Cratera de Ngorongoro (aeroporto de Lake Manyara).

voo_coastal_aviation

Voo da Coastal, companhia que nos levou à Cratera de Ngorongoro (Foto: Viagem no Detalhe)

Recomendo a Coastal de olhos fechados, fiz todos os meus voos internos na Tanzânia com a companhia, que sempre se mostrou super pontual e segura. A Coastal opera quase todas as rotas possíveis dentro da Tanzânia.

DICA VIAGEM NO DETALHE®: Caso a rota que você procure não apareça no site da cia de aviação (é comum!), mande um e-mail. Eu não encontrei no site da Coastal alguns trechos que precisaria fazer, mas, ao consultá-los, fui informada sobre a disponibilidade.

Vale avisar que os preços dos voos internos são beeem salgados porque os aviões operam como verdadeiros táxis aéreos. São pouquíssimos passageiros, em rotas super customizadas. Outra coisa que observei foi que, em geral, quanto mais caro o voo (às vezes indicado como first class), maior a possibilidade de que seja direto. Apesar de muitas vezes não aparecer na compra da passagem, é comum que o avião vá parando em diversas pistas de pouso para descarregar passageiros.

// Documentos necessários

Além de passaporte válido por 6 meses certificado de vacina contra febre amarela, brasileiros (e outras nacionalidades) precisam de visto, para entrar na Tanzânia. Esse visto é tirado na chegada (visa on-arrival).

visa on-arrival é solicitado, assim que se desce do avião, bastando preencher uma ficha de imigração, apresentar o passaporte válido ao funcionário e pagar o valor de US$50 (valor de out/2017 – uma dica: leve o valor certinho, em dinheiro).

Você pode conferir aqui em quais aeroportos pode ser solicitado o visa on-arrival (como é o caso do aeroporto de Dar es Salaam, aonde eu desci, e de Zanzibar).

// Quando ir?

Para as regiões de safári na Tanzânia (no caso do meu roteiro, Serengeti e Cratera de Ngorongoro), a época seca é de junho a outubro e de janeiro a fevereiro. As chuvas geralmente ocorrem de novembro a dezembro e de março a maio.

Eu viajei em outubro e foi uma ótima escolha de mês. Nas regiões de safári em que estive fazia frio, de manhã e à noite, e ficava um pouco mais quente na parte da tarde.

DICA VIAGEM NO DETALHE®: para quem viajar nessa época que eu fui, o ideal é se vestir em camadas, para aguentar a grande variação de temperatura ao longo do dia. 😉

// Onde ficar?

Depois da experiência incrível que tive no andBeyonde Under Canvas, no Serengeti (clique aqui para ler), era hora de conhecer mais um hotel do grupo: o andBeyond Crater Lodge.

Um dos principais atrativos (e motivos que me fizeram escolher o hotel) é sua localização privilegiada: o Crater Lodge é o único hotel que se encontra encaixado nas bordas da Cratera de Ngorongoro.

Além da posição privilegiada e do visual UAU de todos os seus cantinhos, o Crater Lodge não é cercado, de modo que é super comum encontrar animais rodeando a propriedade. Vimos zebras de nossa varanda (e em varias outras áreas!), gnus e alces, quando voltávamos do jantar e vários outros animais. Uma experiência incrível!

andbeyond_crater_lodge_zebras

Zebras dentro do hotel! (Foto: Viagem no Detalhe)

andbeyond_crater_lodge_zebras_soltas

Zebras soltas pelo nosso hotel (Foto: Viagem no Detalhe)

O estilo do hotel é definido por eles mesmos como “Maasai meets Versailles”: o lugar é luxuoso, sem perder a autenticidade e a valorização à cultura local. O quarto, em estilo bangalô massai, era super bem decorado e confortável, com vista da cratera de todos os seus espaços (até mesmo do banheiro!).

andbeyond_crater_lodge_quarto

Nosso quarto no Crater Lodge (Foto: Viagem no Detalhe)

crater_ngorongoro_quarto2

Um pouco mais do enorme quarto (Foto: Viagem no Detalhe)

andbeyond_crater_lodge_bar

O elegante bar do hotel (Foto: Viagem no Detalhe)

A varanda foi um dos meus cantinhos favoritos do quarto. Era uma delícia ficar lá de bobeira, apreciando o visual e tomando uma deliciosa Kilimanjaro (uma das cervejas locais).

andbeyond_crater_lodge_varanda

Apreciando a vista da cratera com uma Kilimanjaro (Foto: Viagem no Detalhe)

O Crater Lodge conta com serviço de mordomo específico designado para cada hóspede. É tudo super discreto e com o objetivo de, não só cuidar da sua segurança (não é possível andar desacompanhado dentro do lodge, após uma determinada hora), como antever cada necessidade sua e tentar te surpreender sempre.

andbeyond_crater_lodge_banheiro

Banho com decoração romântica, preparado no nosso quarto (Foto: Viagem no Detalhe)

Esse tratamento diferenciado ia desde encontrarmos a garrafa do nosso vinho favorito nos esperando, junto da lareira, na volta do Safari, até encontrarmos o edredon elétrico ligado, deixando a cama quentinha, na volta do jantar. O capricho e a delicadeza no tratamento do hóspede com certeza é um dos grandes méritos do andBeyond!

cratera_ngorongoro_bolo_aniversario

Bolinho de aniversário para o marido (Foto: Viagem no Detalhe)

Outro ponto que vale destacar é a gastronomia do hotel. Os menus de cada refeição são super bem elaborados e come-se MUITO bem lá! Você chega a esquecer que está no meio da cratera, um lugar inóspito e com uma estrutura precária, ao provar as delícias preparadas pelo Chef do Crater Lodge!

cratera_ngorongoro_jantar

Jantar especial na nossa última noite no hotel (Foto: Viagem no Detalhe)

Não posso mentir, o valor da hospedagem no Crater Lodge não é barato (você pode consultar o valor atualizado, de acordo com o mês da sua viagem, aqui). Mas é preciso ponderar que os preços diários já englobam todas as refeições, game drives, bebidas alcoólicas, sem limitação, dentro da seleção do hotel (que é ótima, vale destacar), serviço de lavanderia (super útil numa viagem que a mala precisa ser enxuta!) e seguro para emergência. Eu achei que valeu muito a pena!

Uma dica bacana é que, caso você se hospede 6 noites ou mais em hotéis do grupo andBeyond, é possível obter um desconto interessante com o “long stay offer“. Nessa viagem, me hospedei no Under Canvas (no Serengeti), no Crater Lodge (na Cratera de Ngorongoro) e no Mnemba Island (em Zanzibar) e pude desfrutar do desconto. Nos posts específicos de cada um dos lugares, você encontra detalhes de como foi minha experiência em cada um dos hotéis. 😉

Posso dizer, com toda a certeza, que amei a experiência que tive em cada um dos hotéis da andBeyond em que fiquei e que elas contribuíram demais para o sucesso da minha viagem. Recomendo de olhos fechados! 🙂

// O que fazer?

➦ Game Drives – As expedições de safári, é claro, são a grande estrela da viagem e posso te dizer que a Cratera de Ngorongoro é um dos lugares mais perfeitos do mundo para ter essa experiência! O ecossistema perfeito que se formou lá faz com que a quantidade de animais e a variedade de espécies que você tem a oportunidade de ver no safári seja enorme! 🙂

cratera_ngorongoro_rinoceronte

Rinoceronte, o único big 5 que faltava encontrarmos até chegar na cratera! (Foto: Viagem no Detalhe)

Os games, geralmente, acontecem de manhã bem cedinho e no meio da tarde (mas é tudo bem customizado, portanto, vai depender do seu interesse). De manhã, é importante acordar cedo, pois alguns animais ficam mais ativos apenas nesse horário, como é o caso dos leões.

cratera_ngorongoro_leoes

briga de marido e mulher…rs (Foto: Viagem no Detalhe)

O primeiro game geralmente termina na hora do almoço, quando volta-se ao hotel para almoçar e descansar. Na metade da tarde, quando o sol já não está tão forte, costuma ser a sugestão do guia para o segundo game (que pode ou não acontecer, dependendo do seu interesse, é claro).

➦ Café da manhã na Cratera – Uma experiência incrível que tive nessa viagem foi tomar café da manhã, no meio da Cratera. Num dos nossos dias de safári na Cratera de Ngorongoro, nosso guia propôs que, ao invés de tomarmos café da manhã no hotel, fôssemos direto para a Cratera e tomássemos café da manhã lá, em meio à natureza.

cratera_ngorongoro_lcafe_da_manha_cratera

Nosso guia Twalib, preparando o café em meio à cratera (Foto: Viagem no Detalhe)

cratera_ngorongoro_cafe_da_manha

Nosso banquete no meio da cratera (Foto: Viagem no Detalhe)

Não preciso nem dizer que não pensei duas vezes antes de concordar, né?! Foi montada uma estrutura com mesa, cadeira e algumas guloseimas, mas confesso que não consegui parar sentada, só queria admirar a beleza infinita desse lugar! Ah, e esse lago que eu tô olhando na foto aí embaixo tava cheio de hipopótamos!

cratera_ngorongoro_cafe

Vista do café da manhã na cratera (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Visitar um vilarejo Maasai – Visitar um vilarejo Maasai foi um programa que amei fazer na Cratera de Ngorongoro. Os Maasai são tribos nômades da Tanzânia, com cultura e costumes super peculiares – um deles, uma dança típica com pulos super altos.

vilarejo_maasai_danca

Dança Maasai com pulos super altos (Foto: Viagem no Detalhe)

vilarejo_maasai

As tribos nômades maasai (Foto: Viagem no Detalhe)

No vilarejo, pudemos conhecer um pouco mais da história desse povo, visitar uma típica moradia massai e conhecer a escola feita dentro do vilarejo, para as crianças.

vilarejo_maasai_casas

Casas do vilarejo maasai (Foto: Viagem no Detalhe)

vilarejo_maasai_casa

Por dentro de uma casa maasai (Foto: Viagem no Detalhe)

Na escolinha do vilarejo Maasai, tive uma das experiência mais emocionantes da minha viagem pela África. Interagir com aquelas crianças, tão cheias de sonho e esperança, foi realmente especial, uma lembrança que vou guardar para o resto da minha vida.

vilarejo_maasai_escola

Escolinha do vilarejo maasai (Foto: Viagem no Detalhe)

vilarejo_maasai_escola_2

As crianças são as mais fofas e nos fazem sentir acolhidos (Foto: Viagem no Detalhe)

escola_vilarejo_maasai_cratera_ngorongoro

Experiência emocionante na escolinha do vilarejo maasai (Foto: Viagem no Detalhe)

E aí, já se imaginou fazendo um safári dentro da Cratera? Essa experiência foi realmente incrível e recomendo de todo o coração!

Obrigada pela visita!

Beijos, Camilla

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo instagram >> @viagemnodetalhe

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
5 Comentários
  1. […] Dias 6 e 7 – Cratera de Ngorongoro […]

  2. […] e reconhecido por criar experiência únicas aonde opera (fiquei em hotéis deles no Serengeti e na Cratera de Ngorongoro), mas na ilha de Mnemba, eles realmente se […]

  3. […] minha viagem para a África, escolhi me hospedar no andBeyond Crater Lodge, quando estive na Cratera de Ngorongoro, na Tanzânia, primeiramente em razão de sua localização privilegiada. O Crater Lodge é o único hotel que […]

  4. Carolina
    16.04.2019

    Quanto tempo vc ficou em cada destino da Tanzânia, Cami?

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe