Incredible India: meu roteiro de 13 dias no País
agra Ásia Índia Jaipur New Delhi Udaipur varanasi

Incredible India: meu roteiro de 13 dias no País

Por Camilla Ribeiro    Postado em 31.05.2017

A Índia sempre esteve na minha lista de viagens dos sonhos, se não fosse por nada, o simples fato de ter que riscar o Taj Mahal da minha bucket list já justificaria a minha ida para lá. Mas a Índia é MUITO mais do que o Taj, é um país com uma cultura riquíssima, cheio de cores, cheiros, ritos… Uma viagem pra lá é muito mais do que uma simples viagem, é uma experiência de vida.

taj_mahal_4

Taj Mahal: um dos lugares mais incríveis em que já pisei! (Foto: Viagem no Detalhe)

Apesar de tudo isso, quando disse que esse seria meu próximo destino, muita gente me perguntou incrédula o que eu ia fazer naquele país “sujo”, “barulhento”, “caótico”…

A Índia é caótica? É suja? É barulhenta? Sim, muitas vezes essas características podem ser apuradas pra descrever alguns lugares do país, especialmente se você voltar o seu olhar apenas para essa direção. Mas tem TANTA coisa mais pra se ver, é TANTA riqueza em tantos sentidos, que não tem como se incomodar com nada disso! A Índia é MUITO mais, é um país fantástico, com um povo super hospitaleiro, uma cultura riquíssima e muuuuuitas belezas para serem vistas.

old_delhi

Pelas ruas de Old Delhi (Foto: Viagem no Detalhe)

Uma viagem para a Índia, sem dúvida, nos tira da nossa zona de conforto e nos mostra uma realidade completamente diferente da nossa e isso, pelo menos para mim, foi transformador. Para mergulhar a fundo nessa jornada, é fundamental se despir de qualquer preconceito e do nosso próprio senso de cultura ocidental. É preciso ter sempre em mente que não podemos julgar aquilo que não temos como entender, aquilo que não é a nossa realidade e a nossa cultura.

vendedores_rua_varanasi

O movimento caótico do centro de Varanasi (Foto: Viagem no Detalhe)

Dito isso, mergulhe de cabeça e prepare-se para se encantar com esse país incrível! 🙂

encantadores_de_cobra_jaipur

Encantadores de cobra, em Jaipur (Foto: Viagem no Detalhe)

cavalos_jaipur

Encantos para todos os lados, pelas ruas do Rajastão (Foto: Viagem no Detalhe)

// Como chegar?

Diversas cias aéreas operam esse trecho, seja descendo em Délhi (como eu fiz!), seja em Mumbai.

Pela Ásia, é possível escolher a Etihad (com conexão em Abu Dhabi), a Qatar (com conexão em Doha) e a Emirates (com conexão em Dubai). Pela Europa, a Lufthansa (com conexão na Alemanha), a Air France (com conexão na França), a KLM (com conexão na Holanda), a Swiss (com conexão na Suiça) e a British operam o trecho.

Eu escolhi a British Airways, fazendo conexão em Londres, e foi tudo ótimo.

// Documentos necessários

Além de passaporte válido por 6 meses, é obrigatório ter visto e certificado de vacina contra febre amarela para entrar na Índia. O visto de turista pode ser solicitado online nesse site e é super simples de fazer o requerimento.

Eu segui esse excelente passo a passo para solicitar meu e-visa, montado pelo pessoal do Escolha Viajar, e não tive dificuldade nenhuma! Na noite seguinte do envio da minha solicitação de visto, recebi o e-mail autorizando minha entrada no país! o/

É importantíssimo também fechar um seguro viagem, antes de embarcar para essa aventura! Eu sempre consulto o site do Seguros Promo para pesquisar e fechar o meu – recomendo!

// Quando ir?

Todo mundo diz que a melhor época para visitar a Índia são os meses de outubro e novembro, quando a temperatura é mais amena – nem tão quente e nem tão fria.

Eu ignorei as recomendações e fui em maio, mês de alto verão indiano e baixa temporada. E sinceramente? Não me arrependi nem um pouco! Na verdade, adorei ter ido nessa época!

Não vou mentir pra vocês, o calor é grande, podendo chegar a 42, 43 graus… mas achei bem parecido com o verão carioca, com o qual estou mais do que acostumada. Além de tudo, como andei sempre de carro por lá, quando o calor começava a apertar, já era hora de entrar no ar condicionado e seguir para o próximo ponto a visitar.

piscina_oberoi_agra

Quando o calor apertava, sempre dava pra pegar uma piscininha! rs (Foto: Viagem no Detalhe)

As vantagens de ir na baixa temporada são os excelentes preços que dá pra encontrar e o fato de os lugares estarem muito mais vazios. Por exemplo, não peguei fila NENHUMA no Taj Mahal.

Só recomendo que evitem viajar nos meses de junho a setembro, que é a época das monções na Índia.

// O que visitar?

A Índia é uma país enoooorme e montar um roteiro para lá já é o primeiro desafio!

Apesar da tentação de querer visitar todas as cidades (tem tanta coisa bacana!), é muito importante definir exatamente o que você quer visitar e não colocar milhares de cidades em uma viagem (a menos que você tenha vários meses no país! Rs), senão você com certeza não vai conseguir conhecer nada direito!

city_palace_udaipur_exterior

Mil e uma facetas desse país riquíssimo (Foto: Viagem no Detalhe)

Nessa primeira etapa, sugiro que você tente pensar em qual região quer explorar nessa viagem – norte? Sul? Montanhas do Himalaya? E, a partir daí, defina quais cidades, dentro dessa região, vai conhecer, sempre separando uma quantidade de dias razoável para cada uma.

Vale lembrar que a Índia é do outro lado do mundo e que a diferença de fuso horário é uma coisa que bate forte, especialmente no começo da viagem (são 8:30h a mais do que o horário brasileiro). Então, se você começar com um roteiro super punk, tem grandes chances de ficar destruíd@, logo no começo da viagem. Take it slow! 😉

// O meu roteiro

Eu optei por explorar um pouco do norte da Índia, na minha primeira vez no país (primeira de muitas, espero)! Foi MUITO difícil escolher as cidades que queria visitar, mas no fim das contas meu roteiro, de 13 dias completos (excluindo os dias de deslocamento), ficou assim:

Dia 1Delhi

Hotel: The Leela Palace

Dias 2 e 3Agra

Hotel: Oberoi Amarvilas 

Dias 4, 5 e 6 – Fatehpur Sikri & Jaipur

Hotel: Suján Rajmahal Palace

Dias 7, 8 e 9 – Chittorgarh & Udaipur

Hotel: Taj Lake Palace

Dias 10 e 11Varanasi

Hotel: BrijRama Palace

Dias 12 e 13Delhi

Hotel: The Imperial

Achei que a divisão foi muito boa e que consegui conhecer bem todas as cidades por onde passei. Não mudaria nada, nem em relação às cidades que escolhi visitar, nem em relação à quantidade de dias que fiquei em cada uma delas! 🙂

Eu fazia muita questão de visitar Varanasi – a cidade mais sagrada da Índia – , que não se enquadrava, logicamente, tão bem no meu roteiro, por ser do outro lado do país. Mas, insisti no que queria conhecer, dei um jeitinho e funcionou!

varanasi

Varanasi: valeu a pena cruzar o país pra conhecer essa cidade incrível! (Foto: Viagem no Detalhe)

Vou contar detalhadamente meu roteiro em cada cidade, nos próximos posts, e deixar todos os links aqui, ok? 😉

// Como se locomover dentro do país?

A locomoção é um ponto MUITO importante a ser planejado numa viagem à Índia, especialmente se você quiser percorrer várias cidades, como eu fiz.

Nem pense em alugar carro! Além do trânsito ser absolutamente caótico (carros em todas as direções, pouca sinalização, tuk tuks, bicicletas, motos, vacas, tudo junto e misturado!), lá ainda é mão inglesa! Impossível de se adaptar.

trânsito_old_delhi

A gente no trânsito caótico de Old Delhi (Foto: Viagem no Detalhe)

A melhor forma, na minha opinião, é contratar um serviço de motorista, antes de embarcar para a Índia e combinar seu roteiro com a empresa. Eu contratei a Driver India Private Tours e fiquei (juro!) encantada com o serviço!

Além de motoristas excelentes e super prestativos, o serviço ainda incluía guias em todas as cidades e assessoria no planejamento dos itinerários. Eu confesso que sou um pouquinho maníaca controladora com os meus roteiros, rs… gosto de planejar e preparar tudo nos mínimos detalhes, por conta própria. Mas, foi muito válido ter tido essa troca com a empresa de transporte, até porque, várias vezes, eles sugeriam que eu visitasse lugares diferentes (alguns que não tinham referência em lugar nenhum), dicas locais mesmo (como foi o caso de Chittorgarh!).

chittogart_look

Chittorgarh: lugar incrível que só acrescentei no meu roteiro por indicação da agência (Foto: Viagem no Detalhe)

Então, no fim do dia, eu acabei fazendo tudo que tinha planejado fazer e mais várias outras coisas que a Driver India Private Tours indicou – uma excelente combinação 🙂 Por tudo isso e também pelo preço justo, recomendo demais essa empresa!

Para quem quiser cotar preço ou contratar, o contato deles é:

Driver India Private Tours: info@driverindiatour.com – +919266677792

Para trechos mais longos, há a opção de pegar voos internos. Eu peguei um voo da IndiGo de Udaipur para Varanasi e um voo da SpiceJet de Varanasi para Délhi e foi super tranquilo também. Vou contar mais sobre a experiência de pegar esses voos internos, quando falar sobre essas cidades, por aqui.

// Costumes

Acredito que quando estamos em um outro país, devemos tentar aprender um pouco sobre os costumes locais e nos adaptar a eles, na medida do possível. Afinal, somos visitantes e isso, para mim, é uma questão de respeito.

Separei aqui algumas dicas que considero importante ter em mente, em uma viagem para a Índia.

Roupas

A maior parte dos indianos (pelo menos na parte norte do país) se veste da maneira tradicional. É claro que você vê gente de jeans etc., mas, no que diz respeito às mulheres, especialmente nas cidades menores,  os saris dominam as ruas.

chittogart_looks

Looks tradicionais ainda imperam no norte do país (Foto: Viagem no Detalhe)

Lógico que você não precisa andar de sari por lá, mas usar roupas compridas (bem abaixo do joelho, pelo menos), evitar roupas justas e cobrir os ombros é de muito bom tom. Acredite, isso vai te ajudar a não ser tão olhada (e apontada – I mean it!) na rua.

vestimenta_new_delhi

Looks na parte nova da capital (Foto: Viagem no Detalhe)

Na minha viagem, levei muitos vestidos, saias longas e calças larguinhas. Como viajei no alto verão indiano, escolhi tecidos leves, como seda, que me ajudavam a suportar o calor e não pesavam na mala. Outro truque era colocar uma blusa de alcinha, que não esquentava muito e colocar uma pashmina por cima.

look_city_palace_udaipur

Muitos vestidos longos na mala! (Foto: Viagem no Detalhe)

Aliás, é muito bom sempre levar uma pashmina ou lenço para os passeios, porque, além de não poder entrar muito “descoberta” em alguns lugares, alguns templos exigem que você cubra a cabeça.

templo_sikh

É preciso cobrir a cabeça, para visitar os templos Sikhs (Foto: Viagem no Detalhe)

Me senti muito confortável com as roupas que escolhi levar, mas, ainda assim, preciso dizer pra vocês que o assédio dos homens é uma coisa bem incisiva e chata. O jeito é ignorar e, se você estiver viajando em casal, não deixar seu parceiro entrar na pilha.

Por fim, uma última dica é levar bastante meia, porque para entrar nos templos hindus, você terá que tirar os sapatos e as meias acabam sujando muito. Pra quem for mais Nutella, vale a pena levar aquelas meias descartáveis e colocar antes de entrar nesses lugares, porque realmente suja muito o pé…rs

Fotos

Prepare-se para viver, na Índia, seu momento celebridade! Rs

É muito comum que os indianos peçam foto para tirar foto com os turistas, por acharem inusitada nossa aparência “diferente”. Como sou mais morena, isso não acontecia tanto comigo, mas o meu marido, que é bem branquinho, toda hora era parado pra tirar selfies, inclusive com homens sozinhos! Rs

pedidos_de_fotos

Marido no seu momento celebridade rs (Foto: Viagem no Detalhe)

Achei um costume muito curioso e divertido e aceitava a maioria das fotos que me pediam (só recusei tirar foto sozinha com homem). De qualquer forma, se você não quiser ou não tiver a fim de tirar a foto, basta recusar educadamente, eles não costumam insistir.

Gorjetas

Esse é outro ponto relevante: a maioria dos indianos que faça qualquer coisa pra você (qualquer coisa mesmo, até tirar uma foto com você num hotel, por exemplo), espera receber uma gorjetinha. Até mesmo os guias (que já estavam pagos, né?!) esperavam uma gorjeta no fim do passeio.

Para ficar por dentro dos valores razoáveis:

  • Cuidadores de sapatos nos templos: 10 rúpias
  • Carregador de mala e similares: 100 rúpias
  • Guias/motoristas: 500 rúpias ou mais

É claro que você não é obrigado a dar nada (exceto pros cuidadores de sapato, que vão te perseguir na rua, se você não contribuir…rs), mas se quiser ficar por dentro, esses são os valores praticados atualmente (maio/2017).

Cuidados gerais

Segurança

De um modo geral, me senti muito segura viajando pela Índia. Não há muita incidência de roubos por lá, especialmente a turistas. É claro que não vale dar bobeira (e isso se aplica a qualquer lugar do mundo!), mas, no geral, andar com câmera, dinheiro e joia é super tranquilo.

Cuidados com a Saúde

O cuidado com a água é uma preocupação super relevante numa viagem à Índia! Nunca beba água sem ser mineral e sempre cheque se o lacre está intacto, antes de ingerir o conteúdo da sua garrafinha.

Além disso, vale a recomendação de evitar sucos, frutas e verduras (o problema é a água usada para lavá-los/fazê-los) e sempre escovar os dentes com água mineral!

Todos os hotéis em que me hospedei eram excelentes (vou mostrar nos próximos posts!) e, mesmo assim, só escovava os dentes com água mineral (e também tomava banho com a boca bem fechada! Nada de cantar no chuveiro…Rs), por precaução. Pode parecer exagero, mas acho que não vale dar chance pro azar. Tomando essas precações não passei mal nenhuma vez na minha viagem.

Higiene e cuidados gerais

Uma última dica é que é bacana levar alguns itens extras de higiene, para quando você estiver na rua, como lencinhos, álcool gel e lenços umedecidos (especialmente se você for no calor, como eu fui!). Pode parecer bobagem, mas ter esses itens à mão, quebra o maior galho!

Levar uma farmacinha, com os principais remédios também é importante, só por garantia. E, por fim: não deixe de levar protetor solar e repelente!

Tomar essas precauções é importante para garantir que sua viagem transcorra bem e sem sustos, mas o mais importante é se jogar nessa cultura tão única e aproveitar MUITO essa viagem incrível!

dança_típica_rajastão_udaipur

O principal é curtir muito essa cultura linda! (Foto: Viagem no Detalhe)

Posso dizer que voltei de lá apaixonada e já quero fazer um novo roteiro pela Índia! Espero conseguir mostrar um pouquinho desse país  fantástico aqui para vocês! 🙂

Obrigada pela visita!

Beijos,

Camilla

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@viagemnodetalhe

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
16 Comentários
  1. Leandro
    05.06.2017

    Amei o post!!! Muito bem explicado e retrata de forma perfeita tudo que esse (lindo e rico!) país representa 😉

    • viagemnodetalhe
      05.06.2017

      Que bom que gostou!! 🙂

  2. […] reservei 3 dias para explorar a cidade e achei bem satisfatório. Como comentei no post em que falei sobre o meu roteiro completo, fiquei uma noite, na chegada ao país, e mais duas, no […]

  3. […] motorista privativo, por ser o jeito mais prático e confortável de chegar lá, na minha opinião. Nesse post, você encontra minha indicação de motorista para a sua viagem à Índia (e tudo mais necessário […]

  4. […] já comentei, fiz esse deslocamento de carro, partindo de Agra, com motorista privativo. Nesse post, você encontra minha indicação de motorista para a sua viagem à Índia (e tudo mais necessário […]

  5. […] do Oriente. A cidade, fundada em 1559, foi, certamente, a mais romântica por onde passei no meu roteiro pelo país e, claro, uma das que mais amei […]

  6. […] Sagrada, antiga e com uma energia indescritível – assim é Varanasi, a última cidade que visitei, no meu roteiro pela Índia. […]

  7. Igor
    25.02.2018

    Olá Camila! Tudo bem? Me chamo Igor e farei com minha esposa uma viagem à India agora em abril! Primeiramente gostaria de te dar os parabéns pelo seu site e dizer que tuas histórias tem nos ajudado muito! Gostaria de pedir sua ajuda, uma vez que nosso roteiro está muito próximo ao seu, em dizer os pontos fortes da sua viagem, o que mais gostou, os programas que você mais indicaria (tirando o Taj, que está no nosso roteiro!) e as furadas e lugares que vocês não fariam de novo. Essas opiniões são muito importantes, já que estamos na nossa etapa final! Obrigado por compartilhar suas histórias e pelo excelente trabalho! Grande beijo, Igor

    • viagemnodetalhe
      26.02.2018

      Oi, Igor! Tudo bom e você?
      Que bom saber disso, fico muito feliz, é esse feedback que me anima a manter o blog! =) E que máximo que vocês tão indo pra Índia!
      Então, os programas que indico são realmente esses que estão no blog, porque realmente só coloco nos posts as experiências mais bacanas que tenho e que acho que valem a pena ser compartilhadas com vocês. A única furada que achei que tive no meu roteiro foi a visita a cidade de Pushkar, que fiz no caminho de Jaipur para Udaipur, mas nem inclui isso nos posts, porque tento só deixar aqui para vocês as melhores dicas mesmo. Fora isso, tudo foi muito bacana!
      Mas, se for para resumir bem, colocaria os musts da viagem como:
      – Delhi: templo de lotus (lindo e super diferente), Gurudwara Bangle Sahib (porque é muito bacana ter algum contato com os templos sikhs), o Akshardham Temple (que foi o templo hindu mais incrível que visitei!) e visitar algum mercado de rua. Todos os outros passeios que fiz, que falei no post de Delhi, super recomendo (só excluiria o Red Fort, se vocês já o visitarem em Agra), mas, se vocês não tiverem muito tempo, esses foram os highlitghs de Delhi.
      – Agra – amanhecer no Taj, óbvio, que vocês já vão fazer, o Red Fort e pôr do sol do Mehtab Bagh (para ver o Taj de uma outra perspectiva). Se puderem se hospedar no Oberoi, também recomendo demais!
      – Jaipur – foi a cidade que mais amei e, sinceramente, acho que não dá pra cortar nenhuma das atrações que falei no post, porque é tudo muito incrível! A única coisa que acho que daria pra pular, dependendo do grau de interesse de vocês, seria o templo dos macacos.
      – Udaipur – visitar o city palace (principal atração da cidade), pôr do sol na Jagmandir Island (é lindo!) e, se der tempo de visitar o Sahelion Ki Bari, também recomendo, porque é bem bonito.
      – Varanasi – amanhecer no Rio Ganges, se “perder” pelas ruas da cidade (com guia!) e ritual de fim do dia, no Ganges. Se tiverem tempo para conhecer Sarnath, recomendo, pois é uma experiência muito bacana!
      Bom, acho que é isso! Qualquer coisa, é só me falar 😉
      Beijos e boa viagem!

  8. Igor
    01.03.2018

    Oi Camila! Poxa, muito obrigado pela atenção e gentileza em me responder! Suas dicas foram ótimas e com certeza vai ser muito importante na nossa viagem! Nosso roteiro está bem parecido com o seu (aliás eu literalmente fiz uma cola do seu roteiro!!) e estamos bem ansiosos! Pode deixar que depois que voltarmos eu te conto como foi! E não perca o ânimo de compartilhar suas viagens! Sua página é super bem escrita, organizada e os “detalhes” fazem toda diferença! Tenho certeza que suas dicas facilitam as viagens de muitos leitores! Beijo pra vocês,
    Igor

    • viagemnodetalhe
      01.03.2018

      Imagina, Igor! Que bom, tenho certeza que vocês vão amar a viagem! Depois, quero saber de tudo! Grande beijo, Camilla

  9. Igor
    08.03.2018

    Camilla! Espero que tudo esteja bem com vocês!
    Voltei de novo com uma dúvida bem específica: vocês gostaram do serviço da Driver India? Eles ofereceram guia e motorista? Poderia me contar um pouco da experiência, pois vi que vocês falaram muito bem. Estou na reta final e preciso apenas fechar esse serviço.
    Obrigado mais uma vez pela ajuda e atenção! Tenham uma boa semana,
    Igor

  10. […] Taj Mahal – Assim que voltamos da Índia nos sentimos órfãos da gastronomia desse país, tão rica e única, cheia de temperos e aromas! E […]

  11. […] há ainda diversas opções à la carte, incluindo alguns pratos indianos. Pra mim, que estava morrendo de saudade da comida indiana, foi uma […]

  12. […] impecável por lá e recomendo o hotel de olhos fechados para qualquer um que esteja planejando uma viagem para a Índia. Palavra de honra: é um […]

  13. […] que menos curti em Singapura. Talvez por já ter ido a Índia “de verdade” (veja aqui meu roteiro pelo país), não achei a Little India nada […]

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe