Roteiro de 5 dias em Tokyo: todas as dicas da incrível capital japonesa
Japão Tokyo

Roteiro de 5 dias em Tokyo: todas as dicas da incrível capital japonesa

Por Camilla Ribeiro    Postado em 03.02.2019

Das cidades que passei na minha viagem pelo Japão (veja aqui o roteiro completo), Kyoto era a que eu mais ansiava por conhecer. Realmente, Kyoto é incrível e com certeza entrou para o rol das minhas favoritas, mas Tokyo me surpreendeu e encantou demais – muito mais do que eu imaginava!

Tokyo é uma grande metrópole, vibrante, animada e cheia de personalidade. Achei que a cidade parece uma Nova Iorque mais cool, divertida e com toques de cultura pop. Há passeios em Tokyo para todos os gostos: templos, compras, museus, natureza, excelentes restaurantes (come-se MUITO bem lá), há hotéis incríveis, bares descolados e muita diversão. Você pode até não se apaixonar pela cidade (acho difícil!), mas certamente não tem como ficar indiferente ao charme high tech da capital japonesa.

tokyo_palacio_imperial

O Palácio Imperial de Tokyo (Foto: Viagem no Detalhe)

shinjuku_noite

A noite em Shinjuku (Foto: Viagem no Detalhe)

gracery_shinkuku_godzilla

Vista do nosso quarto, no Hotel Gracery Shinjuku (Foto: Viagem no Detalhe)

Além de explorar a cidade e seus diversos bairros, adorei poder observar um pouquinho a vida dos japoneses em uma grande metrópole – seus hábitos, sua rotina de trabalho, sua elegância (achei as japonesas chiquérrimas!) e a forma como aproveitam o espaço urbano. Tokyo é o palco perfeito para esse tipo de observação e uma excelente porta de entrada para a imersão cultural que é uma viagem ao Japão.

// Como Chegar?

Diversas companhias aéreas operam o trecho Brasil – Tokyo. Eu voei de Emirates, com conexão em Dubai, e aproveitei a possibilidade de fazer um stopover na cidade, sem custos adicionais que a cia aérea oferecia, para passar 2 dias nos Emirados Árabes (conhecendo Dubai & Abu Dhabi).

Considerando que são quase 24h de voo, do Rio de Janeiro até o Japão, uma pausa estratégica no meio do caminho foi super conveniente – se tiver tempo, recomendo! Contei meu roteiro e dicas dos Emirados Árabes nesse post aqui.

// Quanto Tempo Ficar?

Recomendo pelo menos 5 dias para conhecer minimamente a capital japonesa. Eu fiquei 5 dias e 6 noites e achei que foi o mínimo necessário para conhecer os principais pontos da cidade, mas teria ficado mais tempo. De qualquer forma, Tokyo entra naquele seleto grupo de lugares que é para se voltar sempre e eu já estou planejando minha volta!

// Como fazer os passeios?

Em fiz todos os passeios por conta própria, a pé ou de metrô. A cidade é perfeita pra ser explorada a pé e o transporte público é muito eficiente. Não recomendo pegar táxi por lá, pois os preços são proibitivos (paguei, num trajeto de aproximadamente 15 minutos, do aeroporto para o nosso hotel, USD $ 100!!).

// Onde se Hospedar?

Quando estava planejando minha viagem para Tokyo, tive extrema dificuldade em decidir onde me hospedar: se deveria ficar em Shibuya ou Shinjuku, dois dos principais bairros centrais da cidade. Na dúvida, testei os dois!

No começo da viagem, fiquei 3 dias em Shibuya, no hotel Sakura Fleur Aoyama. Na volta da viagem, passei mais 2 dias em Tokyo, dessa vez em Shinjuku, no Hotel Gracery Shinjuku. As duas experiências foram legais e complementares!

Nessa viagem ao Japão, foquei muito em custo x benefício, em matéria de hospedagem e achei que o Sakura Fleur Aoyama atendeu muito bem a essa proposta. O hotel é pequeno e funcional (o que é super normal, quando estamos falando de acomodação no Japão) e, apesar de não oferecer luxo, tem conforto na medida.

sakura_fleur_aoyama_hotel_tokyo_fachada

Fachada do Sakura Fleur Aoyama, nosso primeiro hotel em Tokyo (Foto: Viagem no Detalhe)

Nosso quarto lá tinha tamanho razoável, a cama era casal e o banheiro, bem pequenininho! Achei que fosse sofrer muito com a cama casal (eu e Leandro temos cama queen em casa e somos, os dois, altos), mas deu pra acostumar numa boa. O mais chatinho foi o banheiro micro, mas nada que não dê pra acostumar, até porque super dentro do padrão japonês!

sakura_fleur_aoyama_hotel_tokyo

Nosso quarto no Sakura Fleur Aoyama (Foto: Viagem no Detalhe)

sakura_fleur_aoyama_hotel_quarto_tokyo

O ambiente era espaçoso para os padrões japoneses (Foto: Viagem no Detalhe)

sakura_fleur_aoyama_hotel_banheiro_tokyo

Mas o banheiro era minúsculo! rs (Foto: Viagem no Detalhe)

Fechamos a hospedagem sem café da manhã e super recomendo! Achei o café da manhã do hotel caro, para o que oferecia, e nos arredores o que mais tinha eram opções maravilhosas de lugar para tomar café da manhã (veja mais dicas no fim desse post). A cada dia, provávamos o café de algum lugar diferente.

O grande ponto forte do Sakura Fleur Aoyama é a localização excelente em Shibuya, longe da bagunça, mas super perto do agito, das principais estações de transporte público, do famoso cruzamento de Shibuya e de diversos bares, restaurantes, lojas e karaokês.

cruzamento_shibuya_vnd

O famoso cruzamento de Shibuya (Foto: Viagem no Detalhe)

O atendimento do hotel é bem atencioso e, no geral, posso dizer que gostei da minha estadia lá – recomendo! Faça aqui sua reserva no hotel Sakura Fleur Aoyama.

Já a estadia em Shinjuku foi uma experiência completamente diferente, mas também bem bacana! Achei Shinjuku mais cheio e também um pouco mais turístico, mas essa impressão pode ter sido reflexo da localização do nosso hotel, que era BEM no meio do agito – o que foi ótimo, especialmente por estar no fim da viagem!

gracery_shinkuku_fachada

A fachada do hotel Gracery, meu hotel em Shinjuku (Foto: Viagem no Detalhe)

Lá, minha escolha de hotel foi o Gracery Shinjuku, hotel famoso por ter uma cabeça do Godzilla, no topo de sua fachada! É o tipo de coisa que você só encontra no Japão, então, pelo inusitado (e pelo fato do marido ter ficado fascinado com a ideia de se hospedar lá…rsrs), escolhemos o Gracery como última hospedagem nessa viagem.

Em termos gerais, achei o hotel simples, com quarto bem pequeno (bem menor que o  do Sakura), banheiro pequeno e serviço padrão de rede grande hoteleira. Mas a localização é excelente e a inusitada ideia de ter o Godzilla no seu hotel, sem dúvidas, é muito divertida!

gracery_shinkuku

Fazendo palhaçada na estátua do Godzilla (Foto: Viagem no Detalhe)

gracery_hotel_shinjuku

Hall dos filmes de Godzilla, no hotel Gracery Shinjuku (Foto: Viagem no Detalhe)

O hotel tem duas opções de café da manhã, sendo que o buffet de sanduíches, no térreo, é o único que dá vista para o Godzilla. Fomos nesse e atendeu às expectativas!

gracery_shinkuku_cafe

Café da manhã com vista para o Godzilla (Foto: Viagem no Detalhe)

Se você é fã de cultura pop e quer ficar bem no agito de Shinjuku, recomendo o Gracery Shinjuku. Faça aqui sua reserva.

Gostei muito de ficar tanto em Shibuya como em Shinjuku, são dois bairros animados, centrais e perfeitos para explorar Tokyo, especialmente num primeiro contato com a cidade.  Honestamente, não saberia dizer qual o melhor, mas acho que preferi ficar em Shibuya, por ter achado um tiquinho menos turístico.

Pesquise aqui outras opções de hotel em Tokyo.

// O que fazer?

Dividi meu roteiro em Tokyo por bairros, tentando visitar 1 ou 2, no máximo, por dia ( o ideal, na minha opinião, é conhecer 1 por dia). Achei essa a forma mais prática de otimizar os deslocamentos e aproveitar cada um dos bairros, até porque todos são recheados de atrações.

 Shibuya – Esse é um dos principais bairros de Tokyo, especialmente conhecido por abrigar o cruzamento mais famoso do japão! Lá, você vai encontrar muitas lojas, luzes, karaokês e aquele mundaréu de gente que povoa nosso imaginário sobre a capital japonesa.

Achei o bairro cheio de vida e de coisa interessante pra descobrir e curti muito ter me hospedado lá, no começo da viagem. A estação de Shibuya é uma das maiores e com mais conexões de Tokyo, então o bairro é também uma ótima localização para se hospedar.

shibuya

Shibuya e todo o frenesi de Tokyo (Foto: Viagem no Detalhe)

Cruzamento de Shibuya – Esse é o maior (e mais cheio!) cruzamento do mundo!! São cinco passarelas, por onde desfilam, todos os dias e horas, milhares de pedestres – tem que parar, nem que seja durante um cafezinho, para observar! O melhor ponto de vista, sem dúvidas, fica no 2º andar do Starbucks, que te deixa bem de frente para a multidão.

cruzamento_shibuya

O frenético cruzamento de Shibuya (Foto: Viagem no Detalhe)

cruzamento_shibuya_starbuks

Vista privilegiada do 2º andar do Starbucks (Foto: Viagem no Detalhe)

Hachiko – Quem assistiu ao filme protagonizado por Richard Gere já conhece a história desse fiel cão japonês, que sempre esperava seu dono voltar do trabalho, na frente da estação – mesmo depois de sua morte… A história é tocante e a lealdade de Hachiko foi eternizada em forma de estátua, que fica em frente à estação de Shibuya (bem ao lado do cruzamento).

hachiko_shibuya_tokyo

Depois de uma fila, também garantimos nossa foto com Hachiko (Foto: Viagem no Detalhe)

Karaokê – Cantar em um karaokê, no Japão, é muito mais que uma simples diversão, é uma experiência antropológica! Não tem como não fazer, além de ser garantia de boa risadas.

Eu escolhi a rede Big Echo (enorme e com filiais em vários lugares do país) e gostei muito, apesar de ter um consumo obrigatório num valor mínimo meio chatinho, para poder cantar (mas acho que é padrão).  Lá, as salinhas são privativas e você escolhe quanto tempo vai soltar o vozeirão (30 minutos, 1 hora etc.).

Uma dica: Não faça como eu e escolha só 30 minutos, pois leva tempo até você escolher a música e entrar no clima. Ah, e não subestime o quão divertido é cantar num karaokê japonês! 😀

karaoke_tokyo_shibuya

A rede de Karaokês Big Echo (Foto: Viagem no Detalhe)

 Harajuku – bairro historicamente muito frequentado por estudantes e que sempre teve muita novidade em função do movimento desse público jovem. Dizem que, hoje em dia, o bairro perdeu um pouco essa essência, mas não foi a impressão que tive.

Esse foi meu bairro favorito de Tokyo. Eu amei a vibe cool de Harajuku, cheia de lojinhas modernas, restaurantes interessantes, gente diferente e as coisas mais inusitadas do mundo, como provar um algodão doce de arco-íris gigante (veja mais a respeito no fim do post)! Se fosse pra comparar, diria que o bairro tem um quê de Marais misturado com Palermo Soho.

harajuku_ruas_estudantes

Estudantes circulando pelas ruas de Harajuku (Foto: Viagem no Detalhe)

Takeshita Street – Essa é uma das ruas principais do bairro, cheia de lojas e lanchonetes. Costuma ser apinhada de gente e é muito comum ver cosplays por lá, além de muitas outras formas de expressão pessoal, passando pelas ruas.

harajuku_takeshita_street

Muvuca na rua Takeshita (Foto: Viagem no Detalhe)

Daiso – Localizada na Takeshita Street, essa é uma enorme unidade da marca de 100 yenes (equivalente a 1 dólar).  Na loja, dá pra encontrar bastante coisa bacana, especialmente lembrancinhas. Vale a pena dar uma passada por lá!

harajuku_daiso

A gigante Daiso, em Harajuku (Foto: Viagem no Detalhe)

 Ginza – um dos bairros mais chiques de Tokyo, é cheio de lojas de departamento, grifes famosas e restaurantes. É também onde se concentram grandes redes hoteleiras.

ginza

Pelas ruas de Ginza (Foto: Viagem no Detalhe)

Palácio Imperial – Como a maioria das cidades japonesas, Tokyo também tem o seu palácio imperial. A diferença é que nele ainda mora a família imperial e, por isso, não é possível visitar seu interior. De toda foma, os arredores do palácio são belíssimos e há um parque enorme, aberto à visitação.

Eu gostei de conhecer tanto o palácio, quanto seu jardim. Mas, se estiver sem tempo, acho que esse é um programa que dá pra pular, pois há outras cidades japonesas com palácios mais bonitos, na minha opinião.

tokyo_palacio_imperial_vnd

Palácio Imperial, visto à distância (Foto: Viagem no Detalhe)

tokyo_palacio_imperial_jardins

Pausa para uma foto na lateral dos jardins do Palácio Imperial (Foto: Viagem no Detalhe)

tokyo_palacio_imperial_entrada_jardins

Entrada do jardim do Palácio Imperial (Foto: Viagem no Detalhe)

tokyo_palacio_imperial_parque

Grande espaço verde do Jardim do Palácio Imperial (Foto: Viagem no Detalhe)

Wako Main Bulding – Essa enorme e elegante loja de departamento é o prédio-símbolo de ginza. A loja, que fica na principal esquina do bairro e tem um imponente relógio seiko no topo de sua torre (não é difícil localizar), é a mais antiga e histórica de Tokyo.

Lá dentro, achei tudo caríssimo! rs… Mas achei que valeu a visita pela história e para admirar a bela arquitetura da loja.

ginza_wako_tokyo

Wako, pédio-símbolo do bairro de Ginza (Foto: Viagem no Detalhe)

ginza_wako_tokyo_interior_loja

Um pouco da arquitetura interna da Wako (Foto: Viagem no Detalhe)

Godzilla Square – praça em homenagem ao famoso monstro japonês. Lá, há um estátua de Godzilla e, dentro dela está guardado o roteiro original do primeiro filme da franquia, datado de 1954! O bairro foi escolhido para abrigar a praça (que foi inaugurada em 2018) por ter sido lá que surgiram os Estúdios Toho.

ginza_godzilla_square

Godzilla square, no bairro de Ginza (Foto: Viagem no Detalhe)

 Itoya – Essa famosa papelaria é capaz de enlouquecer qualquer apaixonado pelo tema! Lá, você vai encontrar absolutamente TUDO em matéria de papel, lápis, caneta e algumas (muitas) coisas mais! Não é barata, mas, pra quem curte essas coisas, é bem incrível. Em Ginza, há uma unidade de 12 andares da papelaria!

ginza_itoya

Itoya, incrível papelaria japonesa (Foto: Viagem no Detalhe)

 Akihabara – esse foi, pra mim, disparado, o bairro mais surreal de Tokyo. Conhecido como “bairro nerd”, é lá que você vai encontrar todas as lojas de video game, mangás, bonecos e tudo mais que a imaginação te permita alcançar!

Passeando pelas ruas de Akihabara, me senti dentro de um verdadeiro video game! rs Os prédios gigantes, cobertos por telões que emitem sons, músicas e filmes, as mulheres nas ruas, fazendo propaganda dos famosos maid cafes, a multidão frenética…tudo contribui para o clima de fantasia impregnado por ali.

Aqui, não vou deixar pontos de interesse como referência. O bacana é se perder pelas ruas, entrando em todos os lugares que atiçarem a sua curiosidade – não vão ser poucos!

akihabara_ruas

Pelas ruas de Akihabara (Foto: Viagem no Detalhe)

akihabara

Akihabara parece um video game a céu aberto (Foto: Viagem no Detalhe)

akihabara_maquina_pokemon

Impossível não ficar fascinado e entrar no clima (Foto: Viagem no Detalhe)

 Shinjuku – esse foi o bairro que me hospedei quando voltei a Tokyo, no fim da minha viagem. É um dos principais da cidade e, assim como Shibuya, é povoado por lojas, bares e restaurantes.

Senti lá uma pegada um pouquinho mais turística, em algumas partes. Nada demais e pode também ter sido por eu ter estado no bairro durante o fim de semana, quando tudo fica mais cheio, mas foi a impressão que tive.

Por Shinjuku também vale a regra de se perder pelas ruas, ser ofuscado pelas milhares de luzes no caminho e experimentar a bela cena gastronômica do bairro. Lá, você irá encontrar a Golden Gai, uma alameda imperdível, cheia de bares minúsculos que são a cara do Japão (veja mais sobre esse lugar abaixo).

shinjuku_luzes

Luzes brilhantes de Shinjuku (Foto: Viagem no Detalhe)

 Asakusa – O bairro de Asakusa estava no meu roteiro por Tokyo, mas acabou sendo a única coisa que não conheci. Seu principal atrativo é o famoso templo de Senso-ji, que é o maior e mais sagrado templo budista da cidade.

Eu acabei deixando esse programa para o meu último dia em Tokyo, mas, depois de ter ido a 1001 templos incríveis em Kyoto, não tive interesse em cumprir minha programação original. Preferi voltar ao bairro de Harajuku e ter um dia mais “sem compromisso”, batendo perna sem direção e descobrindo novas coisas. Mas, quando voltar a Tokyo, quero conhecer Asakusa!

Se você incluir esse bairro no seu roteiro, depois de visitar o templo Senso-Ji, aproveite para conhecer a sede da cervejaria Asahi (Asahi Beer Hall) e a a Tokyo Skytree (maior torre do Japão), que também ficam por lá.

 Ueno – Esse bairro também estava na minha programação do último dia em Tokyo, então também ficou para minha próxima visita à cidade. Seu principal atrativo é o famoso Parque Ueno, que abriga alguns dos melhores museus de Tokyo, além de templos, um lago e um zoológico. Dizem que, na época das cerejeiras, o parque fica especialmente belo.

// Onde comer?

L’Occitane Cafe– Esse charmosíssimo café, com cardápio assinado por Pierre Hermé, fica bem no cruzamento de Shibuya.

loccitane_cafe_tokyo

Charmoso ambiente do L’Occitane Cafe (Foto: Viagem no Detalhe)

Fui lá para tomar café da manhã e amei, super recomendo! O ambiente é lindo, a comida é deliciosa e, lá de cima, ainda dá pra ver o famoso cruzamento.

loccitane_cafe_da_manha_tokyo

Combo de café da manhã com vista para o cruzamento de Shibuya (Foto: Viagem no Detalhe)

loccitane_cafe_tokyo_2

E essa parede de flores, que tal? (Foto: Viagem no Detalhe)

Harajuku Gyozaro – esse restaurante, localizado no burburinho de Harajuku, é super famoso por seus gyosas! Apesar do local ser BEM turístico, o gyosa é maravilhoso!! Fui duas vezes e recomendo.

harajyuku_gyozaro_interior_restaurante

Ambiente simples e descontraído do Harajuku Gyosaro (Foto: Viagem no Detalhe)

harajyuku_gyozaro_gyoza_restaurante

O famoso gyosa! (Foto: Viagem no Detalhe)

Lembre-se de chegar cedo ou fugir a hora do rush, porque o restaurante fica cheio e com fila na porta!

harajyuku_gyozaro_fila

Fila na porta do Harajuku Gyozaro (Foto: Viagem no Detalhe)

Eddy’s Ice Cream – a sorveteria MAIS LINDA que já fui na vida!! Com ambiente todo rosa (e trilha sonora das Spice Girls!), lá você monta seu sorvete com seus toppings e decoração favoritos. Eu escolhi o de algodão doce com unicórnio – não ficou lindo? 😀

eddys_ice_cream_sorvete

Meu sorvete no Eddy’s Ice Cream (Foto: Viagem no Detalhe)

eddys_ice_cream_sorveteria

Ambiente fofo do Eddy’s Ice Cream (Foto: Viagem no Detalhe)

Totti Candy – a febre do instagram é o algodão doce de arco íris desse lugar! Apesar do sabor duvidoso, é impossível não se encantar e voltar a ser criança, provando o doce!

rainbow_sweet_harajuku_algodao_doce

Voltando a ser criança com o algodão doce de arco íris de Totti Candy (Foto: Viagem no Detalhe)

Amour – Nesse restaurante, tive um dos melhores jantares da viagem! O Amour apresenta uma mescla de culinária japonesa com técnica e ingredientes franceses e ostenta 1 estrela Michelin.

restaurante_amour_tokyo

Um dos pratos do menu degustação do Amour (Foto: Viagem no Detalhe)

O menu degustação é maravilhoso e o atendimento é de uma delicadeza suprema! Fomos recebidos com um menu todo artesanal, num casarão tão aconchegante que te faz pensar que está visitando amigos e não jantando em um restaurante. Na saída, recebemos uma cartinha e fomos acompanhados até a porta pelo staff. Foi um jantar inesquecível!

restaurante_amour_tokyo_sobremesa

Chá e doces para fechar o jantar memorável no Amour (Foto: Viagem no Detalhe)

Aoyama Flower Market Tea House – Essa floricultura, que abriga uma casa de chá em meio ao seu jardim, foi um dos lugares mais incríveis que  visitei em Tokyo!

aoyama_flower_market_entrada

A entrada da floricultura Aoyama (Foto: Viagem no Detalhe)

aoyama_flower_market_casa_de_cha

E o belíssimo interior da casa de chá (Foto: Viagem no Detalhe)

Sense – localizado no 37º andar do Mandarin Oriental, o Sense me proporcionou uma das minhas melhores experiências gastronômicas do Japão. Meu jantar lá foi tão bom que rendeu um post só pra falar dele! Clique aqui e confira como foi minha experiência nesse restaurante estrelado de culinária cantonesa.

jantar_romantico_sense_mandarin_oriental_tokyo

Jantar incrível com uma vista fabulosa de Tokyo, no Sense (Foto: Viagem no Detalhe)

Golden Gai – A Golden Gai é uma alameda localizada em Shinjuku, onde milhares de barzinhos minúsculos se amontoam, um do lado do outro. Mais do que uma experiência gastronômica, é uma divertida e imperdível experiência antropológica visitar o local.

shinjuku_golden_gai

A alameda Golden Gai e seus barzinhos (Foto: Viagem no Detalhe)

Por lá, recomendo MUITO o barzinho de vinho Pitou, uma graça de lugar, com boa oferta de vinhos em taça (inclusive japoneses!). Mas, uma dica: vá de barriga cheia, pois não há opções de petiscos para acompanhar, a ideia lá é só beber!

shinjuku_golden_gai_pitou_vinhos

A fachada do charmoso Pitou (Foto: Viagem no Detalhe)

shinjuku_golden_gai_pitou_entrada

Estreita entrada do Pitou (Foto: Viagem no Detalhe)

Tsukiji Sushiko – nesse sushibar, provamos alguns dos melhores sushis da viagem! Uma pena só ter descoberto o local no último dia, pois teria ido mais vezes, com certeza! Para uma autêntica experiência japonesa, sente no balcão e observe toda a habilidade do sushiman.

tsukiji_sushiko_entrada

A entrada do Tsukiji Sushiko (Foto: Viagem no Detalhe)

Não deixe de provar o sushi de Mackerel, um dos mais deliciosos, na minha opinião!

tsukiji_sushiko_sushi

Maravilhosa seleção de sushis do Tsukiji Sushiko (Foto: Viagem no Detalhe)

***

Tokyo definitivamente é uma cidade que consegue surpreender e encantar a cada esquina. Definitivamente, um lugar para ir e voltar várias vezes! No próximo post, conto sobre como foi minha experiência em Kyoto, que ao contrário de Tokyo, parece uma volta no tempo a um Japão de tradições milenares!🙂

Obrigada pela visita!

Beijos, Camilla

Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo instagram >> @viagemnodetalhe

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um percentual revertido para o blog 😉

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
1 Comentário
  1. […] Dias 3 a 6 – Tokyo […]

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe