Zanzibar: roteiro de 6 dias pelas praias paradisíacas dessa pérola africana
África Tanzânia Zanzibar

Zanzibar: roteiro de 6 dias pelas praias paradisíacas dessa pérola africana

Por Camilla Ribeiro    Postado em 08.08.2018

A última parada da minha aventura africana (clique aqui para ver meu roteiro completo) foi em Zanzibar, um incrível arquipélago no Oceano Índico a 30 km da Tanzânia, e posso dizer que foi um final com chave de ouro para minha viagem pela África do Sul e Tanzânia!

nungwi

O mar turquesa de Nungwi (Foto: Viagem no Detalhe)

Apesar de fazer parte da Tanzânia, Zanzibar tem status status semi-autônomo e elege o próprio presidente. O arquipélago é formado por duas ilhas principais: Unguja (a parte que nós conhecemos como Zanzibar, onde ficam os principais pontos de interesse) e Pemba.

Se você gosta de praias paradisíacas, cenários pitorescos, mar com mil e um tons de turquesa, história e momentos de relaxamento, Zanzibar é para você! E, especialmente depois de passar vários dias fazendo safári, posso dizer que uns diazinhos de praia caem muito bem!

// Como chegar?

Não há vôos diretos para a Tanzânia, de modo que, necessariamente, você terá que voar até a África do Sul (Joanesburgo) para, de lá, seguir para o país.

Aproveite essa parada “forçada” em Joburg para fazer um roteiro combinando África do Sul e Tanzânia ou para, pelo menos, conhecer a cidade (como eu fiz e recomendo!). Veja aqui  minhas dicas de Joanesburgo.

Eu voei de Latam, no novíssimo voo direto de São Paulo até Joanesburgo (no meu caso, fui do Rio), e super aprovei! Mas diversas outras companhias operam o trajeto.

De Joanesburgo, há voos diretos para Zanzibar operados pela Mango. Esses vôos só saem às terças, quintas e sábados, com horários limitados. Eu voei de Mango no fim da minha viagem, e recomendo a companhia!

// Documentos necessários

Além de passaporte válido por 6 meses certificado de vacina contra febre amarela, brasileiros (e outras nacionalidades) precisam de visto, para entrar na Tanzânia. Esse visto é tirado na chegada (visa on-arrival).

visa on-arrival é solicitado, assim que se desce do avião, bastando preencher uma ficha de imigração, apresentar o passaporte válido ao funcionário e pagar o valor de US$50 (valor de out/2017 – uma dica: leve o valor certinho, em dinheiro).

Você pode conferir aqui em quais aeroportos pode ser solicitado o visa on-arrival (como é o caso do aeroporto de Zanzibar).

// Quando ir?

Zanzibar é uma ilha tropical e, portanto, tem temperatura bem estável o ano todo. De junho a outubro é a estação seca. De abril a março, as temperaturas são mais altas, mas PODE chover. De toda forma, historicamente, chove pouco nessa época e ainda dá pra ir! Já abril, maio e novembro são os meses de CHUVA e devem ser evitados.

Eu fui em Outubro e, apesar de ter pegado poucos e rápidos momentos de chuva, aproveitei dias quentes e ensolarados, em Zanzibar, na maior parte do tempo.

nungwi_praia_2

Mesmo nos momentos de tempo menos aberto, dava pra curtir (Foto: Viagem no Detalhe)

// Quanto tempo ficar?

Antes de viajar para Zanzibar, vi que a maioria dos guias e blogs recomendavam de 3 a 4 dias na ilha, mas, quando comecei a pesquisar mais a fundo, vi que havia muito a se fazer por lá, até mesmo além das praias.

mnemba_island_and_andbeyond

A incrível ilha de Mnemba, em Zanzibar (Foto: Viagem no Detalhe)

Além disso, ao contrário do que muitos pensam, a ilha é bem grande e, para conhecê-la bem, vale a pena eleger bases diferentes, como norte e sul.

Assim, contrariando a recomendação geral, reservei 6 dias do meu roteiro para Zanzibar, dedicados a explorar vários cantinhos do arquipélago, de norte a sul, e não me arrependo! Zanzibar é daqueles lugares que não tem limite de tempo para visitar. Se bobear, dá pra ficar 1 mês lá, só de perna pra cima, vendo aquele marzão turquesa na sua frente…

// Meu Roteiro

Como, quando comecei a planejar a viagem para lá, vi que tinha muuuuita coisa interessante para conhecer, escolhi ficar em 4 bases diferentes para poder explorar cada cantinho de Zanzibar!

Minha divisão de bases ficou assim:

Dia 1 – Stone Town
Dia 2 – Paje
Dia 3 e 4 – Nugwi
Dia 5 e 6 – Mnemba Island

No mapa abaixo, dá pra ver o quanto a ilha é grande e como as partes que elegi como bases são distantes umas das outras.

zanzibar_viagem_no_detalhe

// Stone Town

Stone Town equivale à capital de Zanzibar, é a parte mais antiga da cidade e guarda muita história. O lugar é patrimônio mundial da UNESCO, cidade natal de Freddie Mercury (!) e, historicamente, principal base para mercadores árabes.

Devido a sua localização estratégica, a “cidade de pedra” era um ponto de encontro entre África e Arábia, o que resulta, até os dias de hoje, em uma mistura de culturas, sabores, cheiros e cores incrível. Stone Town faz parte daquela categoria de lugares mágicos que te faz viajar no tempo e te transporta para uma outra era.

Apesar de Zanzibar ser mais conhecida por suas praias maravilhosas, apaixonada por história que sou, não podia deixar Stone Town de fora do meu roteiro por lá, né?

stone_town

Pelas ruas de Stone Town (Foto: Viagem no Detalhe)

➼ Onde ficar:

Hotel Emerson Spice – Esse hotel boutique encantador foi minha escolha de hospedagem em Stone Town e super recomendo! O lugar, por si só, é um ponto turístico, em função do tanto de história que guarda.

emerson_spice_quarto_semele

Semele, nosso quarto no Emerson Spice (Foto: Viagem no Detalhe)

O prédio que abriga o hotel é uma fusão de 3 construções, uma delas, o palácio do governante da ilha, onde o mesmo recebia as visitas do sultão do Omã. Outra delas, a casa de um comerciante local. Não é possível saber a exata data de construção do prédio, mas estima-se ser anterior a 1836!

emerson_spice_cafe_da_manha

O café da manhã delicioso do Emerson Spice (Foto: Viagem no Detalhe)

Enfim, é uma hospedagem cheia de charme e história, um lugar realmente especial. Não fosse só isso, o rooftop do Emerson Spice abriga um dos restaurantes mais incríveis do arquipélago! Jantar lá é imperdível, mesmo para quem não é hóspede, mas vale a dica de reservar com bastante antecedência, pois são poucas mesas e o lugar é bem disputado.

emerson_spice_restaurante_rooftop

O incrível jantar no rooftop do Emerson Spice (Foto: Viagem no Detalhe)

O menu de 5 etapas é sempre surpresa e varia diariamente, de acordo com o que tiver de mais fresco no mercado da cidade. Jantar lá foi uma experiência inesquecível, não só pelo ambiente encantador do restaurante, mas também pela sua comida deliciosa. Estando em Zanzibar, não deixe de reservar uma noite para jantar lá – imperdível!

emerson_spice_restaurante_prato

Um dos pratos do delicioso menu degustação (Foto: Viagem no Detalhe)

➼ O que fazer:

➦ Perder-se pelas ruelas de Stone Town – Stone Town não é grande, mas é um verdadeiro labirinto. Um dos programas mais deliciosos para se fazer por lá é se perder por suas ruelas cheias de história, mas recomendo fazer isso com o apoio de um city tour. Um bom guia irá te levar aos principais pontos de interesse e te contar a história da cidade de pedra.

portas_stone_town2

As famosas portas de Stone Town (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu contratei o tour de meio dia com o Colors of Zanzibar (USD $30, por pessoa com entradas incluídas – valores de outubro/2017), mas acho que não dei muita sorte com o meu guia. Ele era muito jovem e não falava inglês muito bem…apesar de não ter sido um tour ruim, propriamente, sinto que poderia ter sido melhor.

ruas_stone_town

Pelas ruas de Stone Town no tour com Colors of Zanzibar (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Palace Museum – Apesar de pouco conservado, o palácio é um dos principais lugares para conhecer a história da ilha e de seus sultões. A maioria do seu acervo (apesar de, infelizmente, mal cuidada) é original.

Uma das coisas que mais gostei dessa visita foi conhecer a história de Princess Salma, uma mulher a frente de seu tempo que, contrariando todas as expectativas para sua vida de filha do sultão, se apaixonou por um comerciante alemão e se casou com ele.

palace_museum_stone_town

Um pouco do acervo do Palace Museum (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Casa de Freddie Mercury – Especialmente se você for fã de Queen, vale dar uma espiada na fachada da casa onde nasceu Freddie Mercury. Isso e algumas fotos é tudo o que você vai encontrar referente ao artista em Zanzibar, mas vale para conhecer.

casa_freddie_mercury

A fachada da casa de Freddie Mercury (Foto: Viagem no Detalhe)

➦ Antigo Mercado de Escravos – Stone Town tinha um dos mercados de escravos principais na época da escravidão. Um realidade tristíssima, mas que nunca pode ser esquecida. A visita é de chorar (literalmente), mas deve ser feita.

antigo_mercado_escravos_stone_town

A entrada do antigo mercado de escravos (Foto: Viagem no Detalhe)

Há um pequeno museu, contando a história e os horrores da escravidão, que, inacreditavelmente, ainda perdura até o dia de hoje em tantos lugares. Depois, passa-se ao local onde os escravos ficavam aguardando os repugnantes leilões e ao memorial. Um passeio triste, que passa por um dos capítulos mais deprimentes da nossa história, mas riquíssimo em história e informação.

memorial_escravos_stone_town

Memorial dos escravos (Foto: Viagem no Detalhe)

// Paje

Paje fica norte da ilha e é uma praia menos turística de Zanzibar, mas com ótimas opções de hospedagem. Escolhi ficar lá pela sua fama de beleza intocada (justificada!) e por ser pertinho de Pingwe, praia que abriga um dos lugares que mais queria ir no arquipélago: o The Rock!

➼ Onde ficar:

White Sand Luxury Villas & Spa – O hotel é lindo, todo florido, tem atendimento impecável, quartos muito confortáveis e faz parte da recomendadíssima associação Relais et Chateaux.

white_sand_zanzibar

Um pouco da estrutura do White Sand (Foto: Viagem no Detalhe)

O White Sand opera no sistema de meia pensão, com café da manhã e jantar incluídos, o que é uma mão na roda, já que não há um “centrinho” nessa parte da ilha que você possa ir para jantar.

white_sand_praia_paje

Acesso do hotel à praia de Paje (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu, que costumo ser bem chata com hotéis all-inclusive (ou meia pensão), gostei bastante de lá! Nosso jantar foi um verdadeiro evento, servido em torno da piscina, com diversas apresentações de música e arte e comida de qualidade.

white_sand_zanzibar_jantar

Uma parte do banquete do jantar no White Sand (Foto: Viagem no Detalhe)

Recomendo demais a estadia lá, gostaria de ter tido mais tempo para curtir o hotel, mas valeu demais ter ficado lá! Reserve sua estadia no White Sand aqui.

➼ O que fazer:

➦ Almoçar no The Rock – Muito mais do que um restaurante, o The Rock é um dos principais cartões postais de Zanzibar! Incrustado no topo de uma pedra, no meio do mar da praia de Pingwe, é um lugar único para almoçar! Dependendo da hora do dia, a maré pode estar mais baixa ou mais alta, fazendo com que o acesso seja feito de barco – um charme extra, né?

the_rock_zanzibar

Barquinho que leva ao The Rock, na maré alta (Foto: Viagem no Detalhe)

No dia que fui lá, reservei meu almoço para as 16h, com a expectativa de conseguir de ir de barco, e deu certo – na foto acima dá para ver como estava alta a maré, nesse horário! A experiência de chegar lá de barquinho e de riscar esse lugar tão único da minha listinha foi indescritível!

the_rock_comida

Tempurá de camarões e legumes, nossa entrada no The Rock (Foto: Viagem no Detalhe)

Uma observação: muita gente se hospeda em Pingwe, por causa do The Rock, mas não achei que vale a pena. Na minha opinião, há praias muito mais bonitas em Zanzibar, como Paje, e que também são próximas ao restaurante. Do meu hotel, foi super tranquilo conseguir um táxi para ir para o The Rock.

➦ Praia de Paje – A praia de Paje é uma delicia, rasinha e de água morna, estilo Bahia! Na maré baixa, se formam piscinas naturais de água turquesa cristalina, uma coisa linda de se ver!

praia_paje_zanzibar

A água quase transparente da praia de Paje (Foto: Viagem no Detalhe)

A praia de Paje é uma ótima pedida ainda para quem viaja com crianças (vimos várias famílias por lá) e é também muito procurada para a prática de Kitesurf.

praia_paje_zanzibar2

Banco de areia e mar turquesa na praia de Paje (Foto: Viagem no Detalhe)

Pra quem se hospeda no White Sand, Paje beach fica bem em frente ao hotel, que tem acesso direto à praia. Há também um restaurante do hotel, pé na areia, que serve tanto bebidas nas espreguiçadeiras como almoço, em sua estrutura. Eu almocei lá e recomendo!

restaurante_white_sand_praia_paje

Restaurante do White Sand na praia de Paje (Foto: Viagem no Detalhe)

// Nungwi

A praia de Nungwi, no norte de Zanzibar, foi minha terceira base na ilha. Essa praia é completamente diferente de Paje: muito mais turquesa (para alguns, é o ponto mais turquesa da ilha), com mar também calminho, mas bem mais fundo.

nungwi_praiai

A linda praia de Nungwi (Foto: Viagem no Detalhe)

A região de Nungwi é bem mais turística – mas sua beleza não torna isso um fato negativo – e tem uma grande oferta de hotéis e resorts, para todos os gostos e bolsos. A principal atração de lá é curtir a praia e o hotel escolhido por você. 

nungwi_the_hideway_of_nungwi

Acesso à praia do nosso hotel (Foto: Viagem no Detalhe)

➼ Onde ficar:

The Riu Palace Zanzibar – O antigo Hideway of Nungwi (atual Riu Palace Zanzibar) foi minha escolha de hospedagem na região. O hotel opera como um resort all inclusive e fica de cara para o marzão turquesa de Nungwi.

the_hideway_of_nungwi_piscina

Pôr do sol na piscina do Riu Palace Zanzibar (Foto: Viagem no Detalhe)

Como já disse aqui, não sou muito fã de resort all inclusive, prefiro hotéis que oferecem um tratamento mais exclusivo e personalizado. Mas, nessa parte de Zanzibar, é difícil fugir do esquema, até porque não tem muita opção de restaurante na parte norte da ilha (pelo que vi, só os dos hotéis mesmo).

riu_palace_zanzibar_quarto

Nosso quarto no Riu Palace Zanzibar (Foto: Viagem no Detalhe)

Eu gostei muito da arquitetura do Riu Palace, os quartos são grandes e impecavelmente decorados, sem perder as características locais. A comida do hotel é boa, a piscina de borda infinita é uma delicia e a praia que fica de frente pro hotel é ótima também. Recomendo!

// Mnemba Island

Para fechar com chave de ouro essa viagem inesquecível para Zanzibar, escolhi como última base a ilha de Mnemba. Essa foi, para mim, a parte mais turquesa do arquipélago, o mar parece pintado de marca texto, em alguns pontos, juro! rs

mnemba_island_cor_do_mar

Dá para acreditar na cor desse mar! (Foto: Viagem no Detalhe)

Mnemba island é uma ilha privativa com apenas um hotel: o incrível andBeyond Mnemba Island. Só pode entrar na ilha quem está hospedado no hotel. Contudo, para ver seu mar turquesa, é possível fazer um passeio de barco até lá (partindo de Nungwi, por exemplo), para praticar snorkel ou mergulho.

Várias empresas oferecem esse serviço e, apesar de não ser possível pisar na ilha propriamente, dá pra aproveitar o seu rico habitat marinho e curtir seu mar lindo, de doer os olhos.

andbeyond_mnemba_island_ilha_privada

Só os hóspedes do andBeyond Mnemba Island podem acessar a ilha (Foto: Viagem no Detalhe)

Se você puder, contudo, se hospedar no andBeyond da ilha, eu recomendo a experiência de olhos fechados! O grupo andBeyond é sensacional e reconhecido por criar experiência únicas aonde opera (fiquei em hotéis deles no Serengeti e na Cratera de Ngorongoro), mas na ilha de Mnemba, eles realmente se superaram.

andbeyond_mnemba_island_bar

O bar do andByond Mnemba Island (Foto: Viagem no Detalhe)

O andBeyond Mnemba Island conta com apenas 11 bangalôs, que parecem uma cestinha de palha e oferecem todo o conforto e privacidade possíveis. Os bangalôs são abertos e completamente integrados com a natureza da ilha.

andbeyond_mnemba_island_bangalo

Nosso bangalô na ilha de Mnemba (Foto: Viagem no Detalhe)

andbeyond_mnemba_island_bangalo_banheiro

Banheiro do nosso bangalô (Foto: Viagem no Detalhe)

A filosofia do hotel é barefoot luxury, portanto, lá você fica de pé na areia o dia todo, do café ao jantar. A gastronomia da ilha é um capítulo à parte, o chef é incrível e todas as refeições são feitas com itens frescos, deliciosos!

cafe_da_manha_andbeyond_mnemba_island

Delicioso café da manhã do AndBeyond Mnemba Island (Foto: Viagem no Detalhe)

Outro ponto interessante é que todas as refeições podem ser discutidas com o chef, com qualquer alteração de cardápio desejada (não só por restrições alimentares, mas de acordo com o gosto do hóspede). Nós, por exemplo, pedimos para trocar o prato principal de nosso último jantar por lagosta e camarão, para aproveitar nossa última noite lá em grande estilo 🙂

and_beyond_mnemba_island_comida

Um dos pratos do almoço, no nosso primeiro dia na ilha (Foto: Viagem no Detalhe)

Falando em jantar, a refeição é servida debaixo das estrelas e de frente pro mar, num ambiente super romântico, cheio de tocheiros e velas. É também possível solicitar um jantar privativo, na frente do seu bangalô, caso prefira.

andbeyond_mnemba_island_jantar

Ambiente do jantar na ilha de Mnemba (Foto: Viagem no Detalhe)

O atendimento do hotel é impecável, com serviço eficiente e discreto de butler, e várias atividades disponíveis (snorkel, SUP, passeio de barco…). Nós fizemos stand up, passeio de barco para fazer snorkel e, depois, para ver golfinhos (que, por azar, não deram as caras justo nos dias que estivemos lá).

ilha_mnemba

Mnemba island: paradisíaca e super turquesa! (Foto: Viagem no Detalhe)

Outra coisa que achei incrível no hotel é que, todos os dias, na hora do pôr do sol, todos param para assistir e celebrar esse espetáculo da natureza. É montada uma mesa, com alguns petiscos, na frente do seu bangalô, e sua bebida favorita é trazida, para brindar o momento.

andbeyond_mnemba_island_por_do_sol

Hora do pôr do sol na ilha de Mnemba (Foto: Viagem no Detalhe)

Passei dias de desconexão e total contato com a natureza no andBeyond Mnemba Island. A experiência de vivenciar o cotidiano da ilha foi algo incrível, chega a ser difícil traduzir em palavras. Os pés na área, a proximidade com o mar a todo tempo, o mergulho final na madrugada do último dia… tudo foi emocionante!

Não vou mentir, a estadia no hotel é cara, mas vale a pena, nem que seja uma vez na vida! Definitivamente, foi um dos lugares em que mais amei ficar e super recomendo!

andbeyond_mnemba_island_por_do_sol_lindo

Pôr do sol cinematográfico na ilha de Mnemba (Foto: Viagem no Detalhe)

Uma dica bacana é que, caso você se hospede 6 noites ou mais em hotéis do grupo andBeyond, é possível obter um desconto interessante com o “long stay offer“. Nessa viagem, me hospedei no Under Canvas (no Serengeti – leia aqui todas as minhas dicas de lá), no Crater Lodge (na Cratera de Ngorongoro – leia aqui todas as minhas dicas de lá) e no Mnemba Island (em Zanzibar) e pude desfrutar do desconto. Nos posts específicos de cada um dos lugares, você encontra detalhes de como foi minha experiência em cada um dos hotéis. 😉

Posso dizer, com toda a certeza, que amei a experiência que tive em cada um dos hotéis da andBeyond em que fiquei e que elas contribuíram demais para o sucesso da minha viagem. Recomendo de olhos fechados! 🙂

Enfim, não é à toa que Zanzibar é conhecida como a Pérola da costa leste africana. O arquipélago é cheio de belezas, lugares paradisíacos e praias lindas de tirar o fôlego. Espero que esse post tenha te animado a colocar o destino na sua wishlist de lugares! 🙂

Obrigada pela visita!
Beijos,
Camilla
Acompanhe minhas viagens em tempo real pelo Instagram >>@viagemnodetalhe

Se você gosta das dicas do blog, ajude na sua manutenção, reservando seus hotéis e pousadas pelos links daqui. Isso não aumenta em nada o valor da sua reserva e gera um pequeno percentual revertido para o blog 😉

Compartilhe!
Deixe seu Comentário
 
15 Comentários
  1. […] Dias 8 a 13 – Zanzibar […]

  2. Lisis
    19.03.2019

    Olá, boa tarde! Li seu blog e amei! Quero ir pra Tanzânia em outubro e gostaria muito de algumas dicas sobre valores. Até pra saber se estou no caminho certo. Vc fez sua viagem por agência ou particular?

  3. Lisis
    19.03.2019

    Olá, boa tarde! Li seu blog e amei! Quero ir pra Tanzânia em outubro e gostaria muito de algumas dicas sobre valores. Até pra saber se estou no caminho certo. Vc fez sua viagem por agência ou particular?
    Curtir

    • viagemnodetalhe
      19.03.2019

      Oi, Lisis! Tudo bom?
      Que bom! Fico muito feliz de saber disso! 🙂
      Na minha viagem para Tanzânia, fiz tudo por conta própria, mas como fechei alguns hotéis da andBeyond (no Serengueti, na Cratera e na ilha de Mnemba, em Zanzibar), quando estava nesses hotéis, especificamente, os valores já incluíam hospedagem, games (os safáris) e alimentação.
      Você consegue ver os preços no site da andbeyond (os links estão aqui no post), na parte de”rate & offers” (varia de acordo com o hotel e a época do ano). Para dar um exemplo, esse é o link para o hotel deles, na cratera de Ngorongoro: https://www.andbeyond.com/rates/ngorongoro-crater-lodge-suite-rate/
      Qualquer dúvida, é só falar!
      Beijos,
      Camilla

      • lisislpp
        20.03.2019

        Camila, boa noite, vc disse que há opção de um desconto interessante caso feche 6 noites na rede andbeyond. Isso é pelo site tbem? Eu não estou conseguindo achar o local exato pra obter o desconto. Pode me ajudar?

        • viagemnodetalhe
          20.03.2019

          Ah, sim! Isso você vê na parte de “stay longer for less”, no site deles! No caso das opções para Tanzania, o link é esse aqui: https://www.andbeyond.com/offers/tanzania-long-stay-offer/
          Mas, o mai prático, é mandar um e-mail para eles, dizendo certinho suas datas e hotéis, porque aí eles já te mandam o valo, roteiro e desconto com valor fechado…foi o que fiz, na época da minha viagem.
          Qualquer coisa, tô por aqui! 🙂
          Beijos,
          Camilla

  4. Lisis
    19.03.2019

    Gostaria de saber como posso fechar os hotéis da rede andbeyond pra conseguir o desconto

  5. […] imaginou se hospedar numa ilha privativa, cercada pelo mar mais turquesa de Zanzibar, onde todos os seus desejos podem se realizar?! Trago boas notícias: isso é possível, no […]

  6. lisislpp
    21.03.2019

    Camila, boa tarde, td bem? Estou super animada com a viagem, mas ao mesmo tempo com certo receio, pois estou verificando os preços e está algo surreal. Gostaria de mais uma vez pedir sua ajuda, afinal, como já disse, de todos os blogs que eu já li, o seu é disparado o melhor (superou Lala Rebello). Vc escreve colocando o que o leitor, geralmente futuro viajante, precisa saber . Por isso, tomei a liberdade de lhe perguntar quanto mais ou menos vc gastou pra fazer Serengeti, Cratera e Mnemba Island, inclusive com os aéreos. A partir dessa informação, vou conseguir saber se estou ou não no caminho certo. Desde já, muito obrigada

    • viagemnodetalhe
      22.03.2019

      Oi! Tudo e você?
      Que bom que você tem gostado do blog e das dicas, fico muito feliz, de verdade, de saber disso! 🙂
      Então, sobre os gastos e valores exatos, vou ficar te devendo…rs Essa viagem pra Tanzânia foi um presente que ganhei do meu marido, então, realmente não sei ao certo os números finais…mas sei que pra fechar com o andBeyond é bem caro, por ser um grupo de luxo (e também porque vi os rates, quando escrevi esse post). De qualquer forma, se o valor estiver ficando muito acima do seu budget, dá uma pesquisada e outros lodges… 😉
      Desculpa não conseguir ajudar mais!
      Beijos, Camilla

      • lisislpp
        24.03.2019

        Camila, sem problemas, vc já me ajudou demais com todas as informações presentes no seu blog. Grande abraço, fica c Deus

  7. Maria
    28.05.2019

    Zanzibar é uma das ilhas mais bonitas que conheço! Eu realmente amei a calma e mergulho (https://dive.site/pt/explore/site/chakatuni-nxql) é incrível!

    • Camilla
      28.05.2019

      Com certeza, Maria! Também amei Zanzibar demais!

  8. Akira
    14.08.2019

    Oi Camila

    Como você se locomoveu de uma parte a outra da ilha?
    Outra duvida que tenho: saindo de Joanesburgo, vc aconselha ir direto para Zanzibar ou ir pra Dar el Salaam e de lá para Zanzibar?

    Obrigado e parabéns pelo blog

    Akira

    • Camilla
      14.08.2019

      Oi, Akira! Obrigada pelos elogios ao blog 🙂
      Em Zanzibar me locomovi de táxi, peguei uma recomendação com o primeiro hotel e fiz todos os deslocamentos com esse taxista.
      Saindo de Joanesburgo, com certeza, o melhor é ir direto para Zanzibar! Eu só fui para Dar es Salaam porque queria começar minha viagem fazendo safari. Se você não se importar com a ordem, é bem melhor ir primeiro para Zanzibar, especialmente se conseguir pegar o voo direto da Mango 😉

Lugares que já visitei
Instagram: @viagemnodetalhe